sábado, 29 de julho de 2017

Cinco fatos sobre câncer de ovário

Com estimativa de cerca de seis mil novos casos em 2016, o câncer de ovário apresenta características específicas e conhecê-las pode ajudar a se prevenir ou mesmo a procurar um especialista no caso de dúvidas.

O aparecimento de cistos no ovário não costuma ter relação com tumores, mas estes devem ser investigados se apresentarem partículas sólidas ou forem grandes. Confira os cinco principais fatos sobre o câncer de ovário.

Câncer de ovário
Fonte: Hospital AC Camargo

terça-feira, 18 de julho de 2017

CÂNCER DE OVÁRIO - NOSSA VOZ GANHANDO FORÇAS

Há 5 anos atrás muito pouco se ouvia falar sobre câncer de ovário! Muitas mulheres diagnosticadas com ca de ovário  sofriam caladas e isoladas, sem ter com quem compartilhar suas experiências, dúvidas, anseios... Hoje, esse cenário está mudando! Conseguimos reunir várias sobreviventes e cada uma tem feito a sua parte para quebrar o silêncio desse câncer silencioso!
Uma dessas mulheres é nossa querida Amanda Cabral Benites, que esteve hoje no programa Bem Estar, da Globo, para contar-nos um pouco da sua estória com o câncer de ovário e para alertar e conscientizar tantas outras mulheres, uma vez que ela própria foi diagnosticada muito jovem!
É a nossa voz ganhando força!
Leia e assista a reportagem completa no G1.
https://www.google.com.br/amp/g1.globo.com/google/amp/g1.globo.com/bemestar/noticia/saude-das-mamas-e-dos-ovarios-como-evitar-e-tratar-o-cancer.ghtml

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Como ajudar um paciente oncológico, sem atrapalhar!

Por: Equipe Oncoguia
O diagnóstico do câncer traz consigo uma série de sentimentos confusos e de difícil compreensão não apenas para o paciente, mas para todos os membros da família e amigos.
Frequentemente familiares e amigos de pacientes com câncer relatam as suas dificuldades em lidar com o fato de ter uma pessoa querida acometida pela doença.

      Como e o que falar?
      Do que devemos conversar?
      Como posso ajudá-lo?
Sabemos que, infelizmente não há uma maneira certa ou errada para se portar diante dessa situação. Aos poucos, você e seu familiar (ou amigo) encontrarão a melhor forma de conversar abertamente sobre a doença.

Lembre-se - A conversa sincera é sempre um passo muito importante para que você consiga ajudar nesse momento. Por meio do diálogo aberto, seu familiar (ou amigo) lhe dará dicas de como falar sobre o câncer.

Algumas orientações para você ajudar sem atrapalhar

Leia um pouco sobre o câncer...

Entender um pouco sobre a doença poderá lhe ajudar neste momento.

Sempre que possível leia e aprenda algo sobre a doença e também como é tratada. Assim, você poderá compreender melhor essa fase pelo qual ele (a) está passando.

Cuide e controle a sua ansiedade

É compreensível que você esteja preocupado e ansioso (a) por notícias a respeito das decisões tomadas, de como andam os tratamentos e tudo mais que se refira ao paciente. No entanto, tente se colocar no lugar do paciente e imagine o "bombardeio” de perguntas e questionamentos que ele deve estar enfrentando. Esteja próximo e se o seu familiar quiser, vá junto as consultas e tratamentos.

Ofereça ajuda

Durante o tratamento de um câncer são necessárias algumas mudanças e adaptações entre todos os envolvidos da família. Pergunte de que forma você pode ajudar nesse momento, lembrando que pequenas atitudes podem ser de grande valia. Fazer um supermercado, levar as crianças para a escola, buscar o resultado de um exame ou preparar uma refeição são gestos sempre bem-vindos.

Ouça

Se, no momento, não houver nada que você possa fazer e, mesmo assim, você deseja ser útil de alguma forma, apenas o escute. Muitas vezes, ouvir o que ele tem a dizer ou respeitar o seu silêncio são exemplos de grande ajuda.

Faça visitas

Se você deseja fazer uma visita, lembre-se: Ligue antes perguntando qual o melhor dia e horário para você fazer a visita.

É importante você saber que os dias seguintes de uma cirurgia são bastante difíceis por conta dos pontos e da reabilitação do paciente, assim como, os dias logo após a quimioterapia.

Alguns pacientes costumam apresentar episódios de náuseas e vômitos e ou sentirem-se muito cansados e sem ânimo para nada, inclusive, para receber uma visita. Por isso, a ligação é tão importante. Também não estranhe se ele não puder/quiser falar ao telefone, ele pode não estar bem.

Com o passar dos dias, os efeitos colaterais passam e os pacientes ficam bem mais animados e retomam as rotinas de suas vidas.

Bate-papo

Alguns pacientes relatam que não aguentam mais falar sobre o câncer, seus tratamentos e demais detalhes do mundo do câncer. Uma boa opção é você falar sobre a sua vida, dúvidas, e até de preocupações do seu dia-a-dia... Ele poderá se sentir útil lhe dando também algum conselho ou ajuda. Caso ele queira falar sobre a doença e você estiver bem com isso, respeite e ouça. Desviar do assunto ou ouvi-lo sem estar à vontade, será pior. A sinceridade e honestidade são pontos fundamentais em qualquer relação.

Chorar

Sim, isso pode acontecer. É importante você saber que altos e baixos emocionais são comuns e que você pode o encontrar mais depressivo e com vontade de chorar.

Se isso acontecer e você não souber o que fazer, ouça, mostre-se presente e deixe-o desabafar. Se isto lhe emocionar e lhe der vontade de chorar, chore. Não tenha medo de expressar seus sentimentos. E se não souber o que falar, fique em silêncio e lhe dê um grande abraço.

Cuidado com o que você vai falar

Algumas pessoas, justamente pela dificuldade em lidar com o câncer acabam ficando sem saber o que falar diante de alguém com câncer e por conta disso, falam frases do tipo:

      Nossa, você esta muito bem!
      Você esta melhor do que eu imaginava...
      Você nem parece que tem câncer...
      O seu cabelo já esta crescendo?
      Mas, você está de peruca? Nem parece.

Conheça o Instituto Oncoguia:
www.oncoguia.org.br

terça-feira, 11 de julho de 2017

Autopreservação!

Às vezes, tudo o que eu queria era poder passar uma borracha em toda essa estória de câncer e seguir uma vida normal, mas todos os dias olho no espelho e vejo a minha imensa cicatriz, mensalmente faço a limpeza do Catéter e trimestralmente os exames de acompanhamento! Por mais que me digam para eu esquecer o assunto, ele ronda a minha vida todos os dias!
Certa vez, uma psicóloga me disse que eu me escondo detrás do câncer...Fiquei furiosa!
Fácil falar quando se está do lado de fora, mas muitas das decisões que tomo e que deixo de tomar são sim balizadas na possibilidade de eu vir a adoecer novamente! Penso no câncer quando tenho que decidir o que vai e o que fica na minha vida! Acredito que a isso podemos chamar de Autopreservação!

Ser bonzinho demais pode fazer mal!

Provavelmente, você já deve ter ouvido a frase: “bonzinho só se ferra”. Pois bem, existe um certo acordo universal, que parece realmente ...