terça-feira, 24 de maio de 2016

Reação alérgica à carboplatina

Durante a minha penúltima quimioterapia, tive uma forte  reação alérgica a carboplatina. Uma sensação de morte de repente surgiu, com náuseas, misturada com cólicas fortes, falta de ar, coceira pelo corpo todo e muitas bolhas e vermelhidão pelo rosto, pescoço, mãos e pés....tiveram que interromper o tratamento, incluir muito antialérgico até eu melhorar, quando foi possível eu terminar a quimio com a carboplatina. Lendo a bula do medicamento, pude constatar que estas reações alérgicas são similares na natureza e gravidade àquelas relatadas com outros compostos que contêm platina, isto é,rash, urticária, eritema, prurido, broncospasmo e hipotensão. Reações do tipo anafiláticas têm ocorrido após minutos da administração da droga. Outros: efeitos colaterais respiratórios, cardiovasculares, da mucosa, geniturinários, cutâneos e musculoesqueléticos ocorrem após a administração.

Espero somente que na última quimio corra tudo bem.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

10 dicas para levar a vida após o câncer


Após receber o diagnóstico de câncer a vida rapidamente começa a girar em torno de uma agenda de compromissos, cirurgias e tratamentos. A maioria das pessoas tem uma ideia de quanto tempo isso durará e entram numa rotina. Depois de todo o processo há uma espécie de excitação para voltar à vida, mas quando a vida não está bem definida, o que você faz? É possível retomar o ritmo de onde você parou, antes do câncer? Felizmente, outras pessoas já passaram por isso, veja a seguir as dicas que poderão ajudar na volta à sua vida normal.

Fique aberto com quem você ama. O câncer não "termina” quando o tratamento termina, muito menos o apoio que você recebe. Alguns cuidadores não percebem que você ainda poderá necessitar deles com a mesma intensidade  de quando  fazia o tratamento. Seja honesto sobre como está se sentindo e não tenha medo de pedir ajuda.

Busque um novo Hobby. Poderá haver muita pressão sobre você para que volte a ser como era, mas para algumas pessoas fazer as mesmas coisas como antes pode agora ser estranho. Se acontecer, use isso como uma oportunidade tentar algo novo. Sempre quis começar a tricotar, correr ou pintar? Agora é a hora. Na verdade, você é uma nova versão de si mesmo, então por que não começar algo que você sempre quis fazer, mas nunca tentou? Isso te ajudará a definir este novo capítulo de sua vida como algo mais do que apenas "a vida após o câncer".

Espere e aceite os dias ruins. Acredite, você passará por eles. Você, por exemplo, se perguntará por que tive câncer ou por que sobreviveu e outros não. Você sentirá medo e ansiedade apenas ao  pensar na possibilidade de recidiva. Mas, lembre-se, ter um dia ruim e ficar emotivo não significa que não esteja curtindo sua segunda chance na vida, significa apenas que é humano. Sinta o que sente no momento e não deixe ninguém lhe dizer como você deve se sentir. Elabore um plano para o que fará nesses dias ruins — talvez comer sua comida favorita com seu melhor amigo, fazer uma viagem ou assistir seu filme preferido. Crie o "plano de emergência do dia ruim" isso poderá garantir que sempre terá um lugar para voltar.

Considere voltar a trabalhar. Se você estava trabalhando antes do câncer, o retorno ao trabalho pode ajudar a restaurar um senso de normalidade e controle que muitas vezes é perdido durante o tratamento. Se você não se sente confortável em reassumir a posição que tinha antes do diagnóstico, considere trocar de trabalho ou fale com seu chefe. Monte o seu currículo por competências e realizações, ao invés de datas trabalhadas a fim de destacar suas capacidades e desviar a atenção da eventuais lacunas geradas pelo tratamento.

Pratique o seu discurso de elevador. O que falar é uma das maiores preocupações que os sobreviventes de câncer têm antes de voltar ao mundo "normal": O que você faz quando alguém lhe pergunta sobre o seu diagnóstico? Acabou de terminar a luta por sua vida, então como fazer para resumir isso em um par de frases para quem pergunta? Anote e pratique uma explicação de cinco minutos, de dois minutos e de 30 segundos sobre o que você quer dizer quando alguém pergunta onde você esteve ou como você está, assim não se sentirá bloqueado ou surpreso.

Comece a se exercitar (se possível). O exercício, além de ser uma maneira de diminuir o estresse e a tensão, também é uma maneira de se conectar com seu novo corpo. Com a autorização do seu médico, comece a realizar exercícios leves em casa e posteriormente saia e vá até o parque no início de manhã. Em seguida, repense na questão de fazer uma academia ou mesmo aulas com um personal  trainer. Eles farão com que você se exercite com um grupo de apoio de alta energia. Nota: Se você considerar a última sugestão, não se esqueça de conversar com o instrutor sobre como tem se sentido com os exercícios.

Faça uma lista dos seus medos. Pode ser extremamente benéfico escrever sobre suas preocupações relacionadas à vida após o câncer. Alguns podem incluir a luta contra a químio, o medo de recidiva, ressentimento por ter que suportar o câncer, o medo de ser tratado de forma diferente uma vez que você retomou sua vida "normal", ou como sua vida sexual será com as cicatrizes físicas e mentais. Anotar seus pensamentos pode efetivamente melhorar a ansiedade e ajudar a solucionar os diferentes problemas de forma mais eficaz.

Assuma o controle de sua saúde. Você não pode fazer seu cabelo crescer exatamente da mesma maneira como antes ou por um ponto final na questão dos esquecimentos, mas  pode pensar em coisas da sua vida que pode controlar. Participe ativamente da sua saúde e faça mudanças em seu estilo de vida — até mesmo definir uma agenda diária para ajudá-lo a voltar nos trilhos. Você conhece seu corpo melhor do que ninguém, então se certifique de permanecer diligente e anote o que lhe faz sentir bem.

Esteja disposto a deixar passar. Algumas pessoas não vão poder lhe ajudar nessa transição ao novo normal. Aqui, a chave para deixar em mente é a seguinte: se você não pode me amar no meu pior, você não pode ter-me no meu melhor. Nem todo mundo com quem você se importa estará do seu lado, mas tudo bem. Tome isso como uma lição a aprender, agradeça aqueles que ficaram e esqueça aqueles que se afastaram. Se não fosse agora, pelo câncer, eles teriam feito isso em algum outro momento.

Compartilhe suas experiências. O dom de dar é de quem continua dando, mesmo depois que seu tratamento terminou. Pense no dia do seu diagnóstico e pense em si mesmo agora. Você inevitavelmente aprendeu muito ao longo do caminho, embora tenha percebido (ou não). Você tem um conhecimento que poderá ajudar outras pessoas, e dissemina-lo permitirá com que se sinta como se essa experiência com o câncer não tivesse sido por acaso: você agora é capaz de ajudar alguém a passar por isso!






quinta-feira, 12 de maio de 2016

Meu depoimento pessoal à TV Oncoguia!

Mulheres, alguma de vocês parou para prestar atenção em seu corpo hoje? Não digo esteticamente falando, se está gorda ou magra, mas para perceber algum inchaço, dor ou desconforto anormal.
Fiquem sempre atentas quando o seu corpo der qualquer sinal de que algo não vai bem!
Se vocês soubessem mais sobre Câncer de Ovário, o que fariam de diferente? Pensem nisso.
Assistam ao meu depoimento pessoal à TV Oncoguia.


domingo, 8 de maio de 2016

Dia 08 de Maio - Dia Mundial de Combate ao Câncer de Ovário!

Fatos mundiais sobre o Câncer de Ovário:

O câncer de ovário é diagnosticado anualmente em quase 250.000 mulheres em todo o mundo, sendo responsável por 140.000 óbitos por ano.

Os dados estatísticos indicam que apenas 45% das mulheres com câncer de ovário têm probabilidades de sobreviver por cinco anos, em comparação com 89% das mulheres com câncer de mama.

Não existe nenhum exame de detecção eficaz para o câncer de ovário.
O câncer de ovário é o tipo de câncer ginecológico mais mortal.

Você precisa saber:

Muitas vezes, os sintomas do câncer de ovário podem ser confundidos com outros problemas menos graves, como as enfermidades gastrointestinais. Tais sintomas poderão englobar:


  • Aumento do volume abdominal / inchaço contínuo (não é o inchaço casual).
  • Dificuldade de comer / sensação de plenitude.
  • Dor abdominal ou pélvica.
  • Necessidade urgente e frequente de urinar.

Visite seu médico de família se você tiver um ou mais desses sintomas por mais de três semanas.


Assista ao vídeo que o Oncoguia e nós, pacientes e ex-pacientes, fizemos para vocês:





terça-feira, 3 de maio de 2016

O DIA MUNDIAL DE COMBATE AO CÂNCER DE OVÁRIO ESTÁ CHEGANDO....


No Dia 8 de maio de 2015 acontecerá a terceira edição do 'Dia Mundial do Câncer de Ovário'
Nessa data, organizações de pacientes de diversas partes do mundo irão se unir para educar a população feminina de seus países a respeito dos sinais e sintomas da doença e assim garantir que essas pacientes possam diagnosticar precocemente o câncer, ter acesso a tratamentos de qualidade e seus direitos garantidos.Dia 8 de maio está chegando e queremos lhe ajudar a se informar mais sobre a doença. 
No Brasil, o Instituto Oncoguia já está fazendo a sua parte. Reuniu, em 02 de maio, algumas pacientes e ex-pacientes de São Paulo para a campanha de conscientização: Agora Eu Sei

Para saber mais, visite os sites oficiais:
Campanha de Conscientização Oncoguia

Ser bonzinho demais pode fazer mal!

Provavelmente, você já deve ter ouvido a frase: “bonzinho só se ferra”. Pois bem, existe um certo acordo universal, que parece realmente ...