terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Viva 2014 com esperança!

Esperança é uma crença emocional na possibilidade de resultados positivos relacionados com eventos e circunstâncias da vida pessoal e requer uma certa perseverança em acreditar que algo é possível, mesmo quando há indicações do contrário. Ter esperança é ter fé e, assim, podemos concluir que sem esperança viver não tem o menor sentido!
Neste novo ano que se aproxima, que possamos ter as nossas esperanças renovadas, que não desanimemos diante das provas que são colocadas em nosso caminho, que sejamos fortes e confiantes em nossos objetivos e que possamos viver, certos de que nossos sonhos se tornarão realidade!
Um feliz Natal e que 2014 seja um ano repleto de muita paz, saúde, fé e esperança para todos nós.

Viver com esperança

A partir de hoje quero ver a vida com os olhos da esperança
Quero ter olhar de uma criança que não vê maldade
Quero ver alegria nas pessoas, chega de tristezas
Quero poder olhar o próximo com os olhos puros
E aplaudir as tentativas de fortalecimento
De cada ser humano... E só enxergar as coisas boas
Quero olhar no espelho e ver uma pessoa valiosa
Alguém com quem gosto de passar minhas horas 
Quero me conhecer melhor... Respeitar-me mais...
Amar-me mais... Quero ver o melhor de mim... 
As partes ruins têm muita gente para ver
Quero sair e ouvir os pássaros a cantar
Olhar as maravilhas da Natureza...
Quero escutar minhas canções favoritas... 
Quero cantar, dançar... Ser autentica...
Quero tomar banhos de chuveiro como se estivesse numa cachoeira
Vou encontrar prazer nos mais variados e simples gestos.
Quero sair à rua e dizer o meu melhor bom dia
Sorrir para as pessoas, um sorriso sincero
Não vou lamentar um passado... É passado...
Passou e não mudará...
Vou fazer hoje o meu melhor dia, porque amanhã
Estará lá me esperando para ser mais feliz
Vou tratar cada dia da minha vida com muito carinho
Vou me valorizar, vou agradecer o presente e o passado
Não deixarei o egoísmo me cegar...
Vou caminhar com superação e enfrentarei os desafios
Com determinação para que eu cresça e fique melhor
Vou viver um dia de cada vez, a cada passo, a cada sonho
Abrindo meu coração e minha alma com esperança
De um futuro brilhante, sempre aprendendo coisas novas
Conhecendo pessoas dando boas vindas às novas amizades
Não quero ser perfeita e que ninguém ao meu lado seja
Porque a perfeição não existe neste mundo
Vou ser responsável pela minha felicidade
Vou lutar com garra para me manter feliz
Vou mudar o que eu quiser e puder...
O restante deixarei passar...
Vou valorizar tudo que eu tenho
A minha vida, as pessoas ao meu lado...
Vou ser mais gostosa de conviver
Porque uma pessoa gostosa...
É uma pessoa que você tem o prazer de estar perto
Olharei para você e darei o meu sorriso mais gostoso
E sorrir para o mundo e sorrir para mim...
(poema de Elaine Coletti)





sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Vacina contra câncer tem resultados positivos em 90% dos pacientes



A revista “Nature” dedicou parte de sua publicação desta quarta-feira aos avanços da imunoterapia no tratamento de câncer. Este método que vem ganhando força no meio científico se baseia no estímulo do próprio sistema imunológico para combater os tumores. Na revista, uma das pesquisas destacadas revisita uma técnica ainda do século XIX para o desenvolvimento de uma vacina imunológica.
Por volta de 1890, o médico William Coley buscou em bactérias a forma enfrentar este mal. Ele infectou um de seus pacientes com o Streptococcus pyogenes, a bactéria que causa a doença escarlatina, e em questão de semanas, o doente teve uma recuperação significativa. Coley então começou a usar micro-organismos mortos para tornar o tratamento mais seguro e acrescentou mais um tipo de bactéria ao composto. O trabalho bem sucedido do médico – que pelos relatos conseguiu tratar centenas de pessoas, mas cuja história tinha caído no esquecimento – foi resgatada por pesquisadores da empresa canadense MBVax Bioscience.
A nova versão de vacina desenvolvida pela MBVax contém a mesma S. pyogenes e outra bactéria chamada Serratia marcescens, que contém um pigmento estimulante do sistema imunológico conhecido como prodigiosina. Desta forma, as cepas de bactérias mortas pelo calor ativam esse sistema para que ele lute contra o tumor.
Entre 2007 e 2012, a empresa vacinou cerca de 70 pessoas em estágio avançado de câncer, incluindo pacientes com melanoma (pele), linfoma (sistema linfático) e tumores malignos de mama, próstata e ovário. Os tumores encolheram em 70% dos pacientes, e 20% entraram em remissão.
Tecnologias de ponta contra o câncer Diversos grupos de pesquisa ao redor do mundo vêm desenvolvendo vacinas a partir de bactérias combinadas. E enquanto alguns pesquisadores buscam métodos de séculos passados, outros lançam mão das mais novas tecnologias disponíveis.
Uma pesquisa das universidades de Stanford, Califórnia e Massachusetts consegue gravar imagens da resposta do sistema imunológico ao câncer de pulmão num camundongo. Com isso, eles conseguem ver tanto como o tumor cresce ou encolhe quanto os detalhes de como e por que isto acontece. Antes disso, os pesquisadores não conseguiam ver o que de fato ocorria no corpo, então eles eram incapazes de identificar por que algumas terapias não funcionavam.
- Nós víamos várias imunoterapias falharem porque éramos cegos – afirmou à “Nature” Christopher Contag, imunologista da Universidade de Stanford, em Palo Alto.
Nos últimos dez anos, cientistas também têm observado células imunológicas e cancerosas utilizando sofisticadas tecnologias de microscopia. Eles aprenderam que as experiências em culturas de laboratório nem sempre conseguem imitar o que ocorreria no corpo.
Um trabalho do Instituto Pasteur, em Paris, conseguiu observar as interações das células tumorais e imunológicas em animais vivos a partir de imagens de um microscópio multifotônico. O alcance deste equipamento é oito vezes maior do que os microscópios usuais.
Duas outras pesquisas (das universidades de Manchester, nos EUA, e Sidnei, na Austrália) usam microscópios com lasers infravermelhos. Com imagens de super resolução, eles detectam as moléculas no momento de contato das células imunológicas e dos tumores.
- Queremos ver onde cada proteína está na superfície destas células, uma informação essencial para a compreensão do que ocorre a nível celular e que determina o prognóstico de um paciente com câncer – explica Daniel Davis, de Manchester.
Globo.com 19/12/ 2013



quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Meu presente de Natal: Exames tudo OK!

Essa semana estive em consultas no AC Camargo. Primeiro, tive uma consulta com o Dr. Carlos Faloppa, que verificou os meus exames (tomografia e marcador tumoral), comparou-os com os do mês anterior e me disse com aquele seu típico tom de entusiasmo: Seus exames estão todos OK! Informou-me que a imagem nodular que tinha aparecido no exame anterior diminuiu e que, nesse caso, nada que necessite de cirurgia! Ele tirou as minhas dúvidas e disse estar feliz com os resultados. Pediu-me para retornar em quatro meses! Em seguida, tive consulta com o oncologista, Dr. Newton, pois a Dra. Milena está em férias. Ele me examinou, verificou os meus exames e me parabenizou (também todo animado) por tudo estar bem comigo! Aproveitei a "viagem" e efetuei  também a limpeza do catéter (porth cath), o qual terei que usar por mais uns 2 anos! Foi uma verdadeira via sacra pelo AC Camargo!

Eu que estava toda temerosa com os resultados por conta daquele bendito nódulo que tinha aparecido nos exames anteriores...sem contar que também fiquei encucada com os resultados porque, justamente no mês de dezembro, fui diagnosticada com câncer, e peguei cisma desse mês! Mas graças ao bom Deus os exames revelaram que tudo está OK comigo. Sai de lá radiante, feliz da vida e com a sensação de que ganhei o melhor presente que poderia ter ganho nesse Natal: Estou saudável! Não é demais? 
Aproveito para desejar a todos os leitores do blog Boas Festas e, especialmente, um Ano Novo repleto de paz e saúde!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

ANS amplia cobertura obrigatória para 29 doenças genéticas

Fonte ANS - Data de publicação: Quinta-feira, 12/12/2013
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulga nesta quinta-feira (12/12) os critérios para o uso adequado de tecnologias no rastreamento e tratamento de 29 doenças genéticas. A medida amplia a cobertura obrigatória, com exames mais complexos, e beneficia 42,5 milhões de usuários de planos individuais e coletivos de assistência médica do país. Os procedimentos descritos na Nota Técnica 876/2013, que está sendo publicada pela ANS, terão de ser oferecidos pelos planos de saúde a partir de 02/01/2014.
Um exemplo de exame genético que passa a ter cobertura obrigatória é o gene BRCA1/BRCA2, para detecção de câncer de mama e ovário hereditários. Outros destaques entre as novas diretrizes são: exame para a detecção da síndrome de Lynch (câncer colorretal não poliposo hereditário); de hemofilia A e B; e de doenças relacionadas ao gene FMR1, como a Síndrome do X Frágil, Síndrome de Ataxia/Tremor Associados ao X Frágil e Falência Ovariana Prematura.

A publicação dessas novas diretrizes relacionadas a doenças genéticas já estava prevista quando houve a divulgação do novo Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, em 21 de outubro deste ano – e que passou a englobar 87 tratamentos e medicamentos, entre eles a distribuição de remédios orais para câncer. Assim como estas diretrizes que estão sendo publicadas nesta quinta-feira, o novo Rol também entra em vigor em 02/01/2014.
O histórico das novas diretrizes
O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde constitui a cobertura mínima obrigatória para os beneficiários de planos contratados a partir de 2/01/1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98. Ao longo de todo o trabalho de revisão do novo Rol, foi criado um grupo técnico específico para discutir a cobertura para os exames genéticos.
Participaram do grupo técnico a Associação Médica Brasileira, representada pela Sociedade Brasileira de Genética Médica -, Ministério da Saúde – representado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) -, Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), Unimed do Brasil e técnicos da ANS. 

Como resultado do processo, foram definidos critérios para 22 itens referentes à assistência, ao tratamento e ao aconselhamento das condições genéticas contempladas nos procedimentos de Análise Molecular de DNA e Pesquisa de Microdeleções e Microduplicações por Florence In Sito Hybridization (FISH). Esses procedimentos são utilizados para a avaliação e identificação de diversas doenças genéticas. É a identificação que possibilita direcionar o tratamento mais adequado e avaliar como será a evolução do paciente. É possível ajudar inclusive a evitar que ocorram algumas complicações da doença.
A novidade
Procedimentos genéticos já eram obrigatórios. A grande novidade com estas novas diretrizes é a definição de critérios de utilização da tecnologia e a ampliação de cobertura com exames mais complexos para determinadas doenças. Com definições pormenorizadas, o objetivo é evitar dúvidas na aplicação do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde e diminuir inclusive reclamações de consumidores não atendidos pelos planos de saúde.

A exigência de prescrição por um geneticista é resultado de consenso no grupo técnico que debateu minuciosamente o tema, porque este é o profissional adequado para solicitar esse tipo de exame.

Veja mais:





domingo, 15 de dezembro de 2013

Dicas para manter a memória afiada depois da quimioterapia.


Faz 1 ano e 4 meses que terminei as quimios e ainda sinto minha memória péssima. Esqueço tudo: nomes, rostos, compromissos, palavras, objetos, de pagar contas, enfim, é uma loucura. Parece que emburreci! É muito frustante.. Acho que a quimio "queimou" os meus neurônios. Uma amiga, que também  fez quimio e que está passando pelo mesmo problema, compartilhou comigo o texto abaixo.


12/12/2013 - por Ana Leite

Muitas pessoas que passam pelo tratamento de Câncer podem notar alterações em sua memória e habilidades de pensamento.  Para ser mais exato, pode ser necessário lidar com disfunções em várias funções cognitivas, como: memória verbal, memória de trabalho, função executiva, atenção, concentração, linguagem e velocidade de processamento da informação. Assim, é necessário aprender a lidar com sintomas cognitivos da quimioterapia e isso envolve encontrar maneiras de desempenhar melhor as atividades.
Aqui estão algumas dicas que podem ajudar:
  • Faça listas. Leve um caderninho (ou agenda do celular ou de papel) com você e anote as coisas que você precisa fazer. Por exemplo, listas de coisas para comprar, coisas para fazer, telefonemas para retornar, e até mesmo, questões mais práticas como tomar os medicamentos. Itens realizados você corta da lista!!
  • Use um calendário de parede. Para algumas pessoas isso funciona melhor do que uma agenda ou um caderno de anotações porque você pendura em um lugar que é fácil de ver. Locais que podem ser ideias para pendurar o calendário é geladeira ou até mesmo o espelho do banheiro, para esses lugares você olha várias vezes ao dia .
  • Algumas dicas do que se deve anotar:
  1. Listas de tarefas com as datas, horários e endereços
  2. Horários de medicações e consultas
  3. Números de telefone importantes
  4. Nomes das pessoas que você precisa lembrar e pode esquecer.
  5. Você também pode usar o seu “caderno de memória “como um diário para monitorar possíveis sintomas, outros efeitos colaterais ou para anotar perguntas a fazer o seu médico na próxima consulta.
  • Deixe uma mensagem em sua secretária eletrônica para se lembrar de algo importante. Quando você ouvir a mensagem mais tarde pode anotar as informações para que você não esqueça.
  • Organize o ambiente. Manter as coisas em lugares familiares vai ajudar a lembrar de onde colocou-as.
  • Evite distrações. Trabalhar, ler e fazer suas tarefas em um ambiente organizado e pacífico pode ajudar a manter o foco por longos períodos de tempo.
  • Tenha conversas em lugares calmos. Isso minimiza distrações e permite que você se concentre melhor no que a outra pessoa está dizendo.
  • Repita as informações em voz alta depois que alguém as dá a você, e anote os pontos importantes. Por exemplo, antes de anotar um compromisso, você pode dizer: ” Ok, então vamos nos encontrar às 2:00  segunda-feira 3 de junho, no número 503 na Avenida Paulista”.
  • Mantenha sua mente ativa. Fazer palavras cruzadas e jogos que desafiem sua atenção, sua memória ou seu raciocínio podem ajudar. Ou ainda, ir a uma palestra sobre um assunto que lhe interessa.
  • Revise. Verifique novamente as coisas que você escreve para se certificar de que você usou as palavras e ortografia corretas. O ddéficit de atenção pode se manifestar em letras e palavras que não são escritas.
  • Treine-se para se concentrar. Costumamos fazer uma coisa enquanto pensamos sobre outra, o que aumenta as chances de esquecer algo importante. Concentre-se no que está fazendo para não perder objetos simples, como a chave. Além disso, você pode usar a dica anterior e dizer em voz alta para si mesmo: ” Eu estou colocando as minhas chaves na minha cômoda.”
  • Exercício, comer bem, descansar bastante e dormir. A pesquisa mostra que essas coisas ajudam a manter sua memória de trabalho no seu melhor.
  • Converse com as pessoas sobre o que você está passando. Dependendo da intimidade, você pode dizer a sua família e amigos suas falhas cognitivas, assim eles poderão entender se você esquecer as coisas que você normalmente não iria esquecer. Eles podem ser capazes de ajudar e de incentivá-lo.
  • Sempre procure ajuda profissional. Se viver com sintomas cognitivos da quimioterapia te deixa ansioso ou triste, procure ajuda!!!

fonte: Cancer Care imagem: tyfn

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Dois anos, desde o diagnóstico!

Exatamente hoje, dia 13 de dezembro de 2013, completa dois anos que recebi o diagnóstico de câncer de ovário! Recordo-me que, na ocasião,  fiquei surpresa, pois nunca achei que fosse acontecer comigo. 
A doença me colocou em contato com a finitude inerente à vida, mostrou-me  que “aquele” meu mundo anterior não existia mais e que a minha existência estava ameaçada! Apesar do choque, procurei, gradualmente, aceitar a minha nova condição, mas não de uma forma passiva, mas sim ativa e reveladora, sobretudo mediante a busca de informações, pois acabei assumindo uma postura de contraposição em relação à doença e fui tomada de um espírito de luta inimaginável. Engajei-me em um movimento de auto-reflexão, procurando identificar os fatores relacionados ao surgimento do câncer que fui acometida, ou seja, o que foi que eu tinha feito de errado, por que aquele câncer tinha aparecido, será que tinha sido o estresse, a alimentação, o sedentarismo? Eu precisava encontrar uma causa para poder  compreender a doença  e, consequentemente, para  poder definir quais seriam as minhas estratégias para o enfrentamento daquele mal. Também recorri à religiosidade, como uma forma de me fortalecer espiritualmente.  Foi praticamente um ano e sete meses de “pausa” em minha vida, o qual eu utilizei para tratar do meu corpo, da minha mente e do meu espírito. Foi um período de grande aprendizado e de reencontro comigo mesma. 
Confesso que não foi fácil, pois um diagnóstico de câncer e os respectivos tratamentos nos causam um impacto psicológico tremendo, mas também desencadeia em nós experiências inéditas de força e fé, assim como, tem a capacidade de nos mudar, inclusive, redefinindo relacionamentos, amizades e o nosso foco diante da vida!  
Hoje, vivo a vida mais feliz e agradeço novamente a todos que ajudaram (e que ainda ajudam) em minha recuperação: médicos, enfermeiros, amigos, familiares, os leitores desse blog! Agradeço a Deus por todos os "anjos" que ele colocou em meu caminho. Muito obrigada!



sábado, 7 de dezembro de 2013

A culpa é das estrelas!

A Culpa é das Estrelas
"A culpa é das estrelas" é o título do livro que acabei de ler!
Trata-se de uma estória fictícia, de John Green, que narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.
Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar com câncer!
Este livro me fez pensar em como deve ser difícil para pessoas tão jovens lidar com um câncer, impedindo-as de viver plenamente no âmago de sua juventude! Vale a pena a leitura e a reflexão!

Segue um dos trechos do livro:
“Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros… Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.”



terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Câncer de ovário: ultrassom é grande aliado do diagnóstico precoce


Ultrassom é grande aliado no diagnóstico de câncer de ovário.
Dados da American Cancer Society revelam que só este ano mais de 22 mil norte-americanas receberam diagnóstico de câncer de ovário. A doença, que costuma ocorrer com mais frequência depois dos 60 anos, vem gradativamente diminuindo nos últimos vinte anos. No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), as estatísticas apontam para uma incidência mais baixa desse tipo de câncer. No ano passado, foram registrados pouco mais de seis mil novos casos. Entretanto, em 75% das vezes, o câncer já estava em estado avançado no momento do diagnóstico – o que reforça a importância da prevenção. 
Na sua evolução, o câncer de ovário costuma ser uma doença silenciosa, dificultando as chances de tratamento e cura. Por isso, é importante que as mulheres estejam sempre atentas. De acordo com o doutor Osmar Saito, médico radiologista do Centro de Diagnósticos Brasil (CDB), em São Paulo, os cistos de ovário são muito mais frequentes do que o câncer de ovário. Características percebidas no exame de ultrassom apontam claramente as diferenças entre cisto e tumor. “O cisto ginecológico simples geralmente é formado por líquido de aspecto homogêneo, sem vegetações sólidas nas suas paredes internas. Por outro lado, o tumor é uma massa anormal de tecido, geralmente sólida, mas que poderá conter alguma quantidade de líquido também. Vale ressaltar que nem todos os nódulos com vegetações são malignos”, diz o médico.
A endometriose também pode apresentar cistos com septos e conteúdo espesso – que muitas vezes sugerem tumores de natureza maligna. A doença costuma acometer boa parte das mulheres jovens. “Nesse ponto, o uso do ultrassom com Doppler colorido poderá identificar, dentro das vegetações ou septos, vasos arteriais. Outros tumores que atingem pacientes jovens são os teratomas, cujo componente maior é a gordura, mas podem ter dentes e, espantosamente, até cabelo. Embora benignos, eles podem sofrer ação gravitacional e torcer o ovário, resultando numa urgência cirúrgica”, afirma o radiologista. 
Na opinião de Saito, o surgimento de cistos com formas bizarras (septos, vegetações internas e líquido espesso) em pacientes na menopausa costuma gerar maior preocupação, já que podem favorecer metástases (semeadura de células tumorais) precocemente. “Se diagnosticados a tempo e retirados cirurgicamente, esses tumores costumam ter altos índices de cura. Portanto, o grande aliado da saúde da mulher é o exame clínico periódico, seguido de perto dos exames laboratoriais e dos exames de imagem, como o ultrassom”.
Os sintomas que costumam levar à investigação diagnóstica do câncer de ovário são a dor pélvica, dor durante a relação sexual, aumento progressivo do volume da barriga, alterações no ritmo alimentar (perda de apetite ou rápido empachamento logo após as refeições), e aumento da frequência urinária. Sempre que esses sintomas persistem por algumas semanas, é hora de buscar ajuda médica. Embora o público-alvo sejam mulheres na menopausa, esses sintomas também podem acometer pacientes jovens – que nem por isso devem deixar de consultar um especialista.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Minha caixinha de remédios!


"Muitas vezes nesta vida, nós somos o remédio da vida de outras pessoas! Quantas vezes você já curou uma pessoa com o seu abraço, uma visita inesperada, um sorriso, uma palavra, um telefonema, um carinho ou até mesmo, um e-mail enviado? Sua presença alegra a vida das pessoas, é um poderoso remédio contra a tristeza, a depressão, a dor e os sofrimentos da alma. Estar presente, na vida das pessoas que amamos é um milagre poderoso, que pode transformar-se em processos de cura absoluta: Eu agradeço a todos que fazem ou fizeram parte da minha caixinha de remédios!"

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Como fazer Mudanças no Estilo de Vida Vivendo com Câncer

Foto: "Terminei meu tratamento para o câncer, e agora?"  - veja dicas para lidar com a fase "pós câncer" http://bit.ly/1dQj8qv
Por: Equipe Oncoguia

Viver com câncer é uma experiência de mudança de vida em muitos níveis. Você pode achar que suas perspectivas mudaram ou que agora você está encarando a vida de um modo diferente, talvez até de uma forma mais leve do que antes da doença. Para muitas pessoas, essa experiência serve como uma oportunidade para reavaliar seu estilo de vida e fazer mudanças positivas para melhorar sua saúde física, mental e emocional. Fazer mudanças planejadas ajuda as pessoas que vivem com câncer a reduzir seu nível de estresse, a ganhar confiança em si mesmos, a descobrir novos interesses e a encontrar um significado maior na vida. Além disso, ter objetivos realistas e alcançá-los, muitas vezes ajudam as pessoas a se sentir no controle de seu futuro em meio à incerteza de um diagnóstico de câncer.

Tipos de Objetivos

O estabelecimento de metas, grandes ou pequenas, e trabalhar para alcançá-las podem beneficiar diversas áreas de sua vida:

Saúde - Muitas pessoas optam por melhorar sua dieta e aptidão física. Para alguns, isso significa ingerir mais frutas e vegetais, juntamente com outros alimentos que compõem uma dieta saudável. Para outros, isso significa aumentar ou tentar diferentes tipos de atividade física. Converse com seu médico sobre um programa de exercícios adequado para você. Metas com foco em saúde também pode incluir parar de fumar, controlar o estresse e estabelecer melhores hábitos de sono.

Relacionamentos - Existem muitas maneiras de fixar metas para melhorar seu relacionamento com familiares e amigos. As metas podem ser simples como reservar uma parte do dia, da semana ou do mês para dividir junto com pessoas que você gosta. Isto inclui a construção de experiências compartilhadas, como um piquenique, um jantar ou simplesmente assistir a um programa de televisão, apenas desfrutando da companhia um do outro. A escolha de se comunicar de forma clara e honesta e se tornar um melhor ouvinte também vai ajudá-lo a criar um vínculo mais forte com as pessoas mais próximas a você.

Trabalho - Os objetivos relacionados ao trabalho podem variar dependendo se você continuar trabalhando ou se tirar licença durante o tratamento do câncer. Um dos objetivos relacionados ao trabalho pode ser o de solicitar ao seu empregador um horário mais flexível para conciliar seus horários de consultas e tratamentos. Outros objetivos podem incluir uma melhor gestão do tempo em tarefas específicas.

Finanças - Gerenciar os custos do tratamento é um objetivo comum após um diagnóstico de câncer. Isso pode envolver os custos médicos e não médicos e identificar questões para conversar com sua equipe médica. Outros objetivos financeiros podem incluir a fixação de metas de poupança mensal, gestão da dívida e revisão das opções de investimento. Se possível, ainda é importante gastar um pouco de dinheiro para cuidar de si mesmo e permitir-se pequenos prazeres, como jantar em um bom restaurante.

Recreação – Ter metas para diversão e lazer é importante para ajudá-lo a aproveitar a vida e manter o equilíbrio. A recreação poderia incluir atividades que você faça sozinho ou com outras pessoas. Você também pode optar por iniciar um novo hobby ou ler um livro.

Voluntariado - Atividades voluntárias, como acompanhar crianças em um programa extracurricular ou ajudar outras pessoas com câncer, pode ser uma oportunidade de ajudar sua comunidade e de crescimento pessoal.

Espiritualidade - Você também pode buscar objetivos que nutram seu espírito e o ajudem a encontrar um novo sentido na vida. Algumas pessoas buscam a espiritualidade através da religião, enquanto outros encontram valores em atividades como yoga ou meditação.

Seja Inteligente no Estabelecimento das Metas

Uma vez definido que tipo de mudanças você gostaria de fazer em sua vida, avalie seus objetivos e defina metas realistas e alcançáveis. Os seus objetivos devem ser:

Específicos - Determine o que você vai fazer, por que e como. Ter um objetivo específico deixa claro o que é necessário para alcançá-lo.

Mensuráveis - Por exemplo, se você quer se tornar um madrugador, uma meta mensurável seria acordar às 6h durante a semana. Esta é uma forma que você pode seguir para alcançar seu objetivo.

Atingíveis - A meta deve ser atingível e não de se tornar  um obstáculo. Por exemplo, não seria inteligente definir uma meta para perder 15 kg em duas semanas. Metas devem ser desafiadoras, mas não inacessíveis ou inalcançáveis.

Relevantes - Seu objetivo deve caber no quadro maior de seus objetivos de vida e senso de propósito.

Oportunos - O objetivo deve ter um calendário claro que afirma que você cumprirá com o tempo.

Dicas para Atingir as Metas

Se você optar por perseguir seus objetivos pequenos ou grandes, sua jornada exigirá determinação e perseverança, quando ocorrem falhas inevitáveis. Algumas dicas para se manter firme em seu propósito:


  • Comece de baixo. Concentre-se no que você está fazendo para alcançar seus objetivos, quebrando metas de longo prazo em metas de curto prazo que são mais facilmente gerenciáveis.
  • Priorize os objetivos de manter o foco e evite ser esmagado por muitas escolhas.
  • Tenha uma atitude positiva e acredite que seus objetivos são possíveis e estão ao seu alcance. Você precisa acreditar em seus objetivos (e em você mesmo) para fazê-los acontecer.
  • Meça seus passos e reconheça que para alcançar seus objetivos pode levar tempo.
  • Aguarde contratempos e prepare-se para lidar com todos os desafios que possam surgir durante a tentativa de cumprir suas metas.
  • Aprenda com seus erros.
  • Tome o crédito do sucesso quando você alcançar um objetivo. Recompense-se com frequência para que você possa se sentir feliz pelo esforço realizado.
  • Considere conversar com um orientador para ajudá-lo a definir metas, resolver problemas e gerir emoções complexas.
  • Compartilhe seus objetivos e jornada com amigos ou parentes. Peça-lhes para ajudá-lo a permanecer motivado e focado em seu objetivo.
  • Divirta-se!


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Descoberto gene Helq ligado ao risco de câncer de ovário em ratos


By Dr Katie Howe

Pesquisadores identificaram um gene em ratos que, se defeituoso, aumenta as chances de desenvolvimento de câncer de ovário.
Um estudo do autor sênior, Dr. Simon Boulton, do London Cancer Research Institute UK, disse: "Nossos resultados mostram que, se há problemas com o gene Helq em ratos, isso aumenta a chance deles desenvolverem cancer ovariano e outros tumores".
O gene Helq é importante para a reparação de quaisquer danos ao ADN que pode ocorrer quando o DNA é replicado durante a divisão celular. Em camundongos, onde Helq estiver faltando ou com defeito, o dano ao DNA pode se acumular, o que aumentam as chances de desenvolvimento de um tumor.
O estudo mostrou que os ratos em que faltavam ambas as cópias do gene Helq eram duas vezes mais propensos a desenvolver tumores ovarianos e também mostrou sinais de infertilidade. Houve também um aumento dos tumores observados em camundongos que haviam perdido uma das duas cópias do Helq.
"Esta é uma descoberta animadora, porque isso também pode ser verdade para as mulheres com erros em Helq, e o próximo passo será ver se este é o caso", disse o Dr. Boulton. 'Se ela desempenha um papel semelhante em seres humanos, isso pode abrir a possibilidade de que, no futuro, as mulheres poderiam ser rastreados para erros no gene Helq que pode aumentar o risco de câncer de ovário.
O câncer de ovário é o quinto câncer mais comum em mulheres no Reino Unido, com um risco de vida de uma em cada 50. No entanto, este risco pode aumentar em mulheres com uma história familiar de cancro de mama ou do ovário.
Julie Sharp, gerente sênior de informação científica do Cancer Research UK , disse que o estudo reuniu indícios de uma série de experiências para a construção de uma imagem de falhas de células que podem levar ao câncer de ovário em mulheres.
"O câncer de ovário pode ser difícil de ser diagnosticado em um estágio inicial e ser tratado com sucesso, assim, quanto mais sabermos sobre as causas da doença, melhor equipados estaremos para detectar e tratar isso", observou. No Reino Unido, cerca de 7.000 mulheres são diagnosticadas com câncer de ovário todos os anos, e cerca de 4,3 mil pessoas morrem da doença.
O estudo foi publicado na revista Nature .

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Pessoas que fazem a diferença...

Minhas amigas queridas estão arregaçando as mangas e fazendo a diferença... Estou muito orgulhosa de ter amigas imbuídas em uma causa tão nobre: a de conscientizar a população sobre a prevenção do câncer, seja ele qual for. Ações como essas contribuem para um mundo melhor!

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Eu me amo mais e amo muito estar viva!

Passei boa parte da minha vida carregando o mundo nas costas, me importando com tudo e com todos, me preocupando, me chateando, correndo, procurando agradar a todos e ser amada, fazendo das tripas coração para dar conta de tudo e para tudo dar certo... Aí, a vida me freou subitamente, colocando em meu caminho uma doença tão temida por todos, um câncer, um câncer no penúltimo estágio! Pensei que eu estivesse condenada, fadada a morte, mas tenho sobrevivido! Deus quis que eu continuasse viva e acredito que ele tenha ainda algum propósito para mim. Muita gente contribuiu para a minha recuperação, e eu mesma me agarrei à vida de uma forma inimaginável!
Agora, eu prometi a mim mesma que não carregarei mais nenhum peso nas costas sozinha. Não me importo tanto, não me chateio tanto, não ligo tanto, não corro tanto e adivinhem só? Quando eu parei de procurar ser amada, parece que o mundo começou a me amar mais. Eu mesma me amo mais e amo estar vivaaaaa!

domingo, 3 de novembro de 2013

Será que é uma crise existencial pós-câncer?

Hoje, um dia lindo lá fora e eu aqui, divagando em meus pensamentos.... Sinto a alma confusa  e uma imensa vontade de viver; não aquela rotina do dia-a-dia, mas emoções intensas, fazer a diferença, respirar a plenitude.

Preciso acreditar mais em mim mesma, buscar soluções, mas  com bom senso, pois  o sucesso é uma conseqüência natural somente se temos a intenção de realizar uma mudança positiva. Afinal, nós somos cem por cento responsáveis pela nossa vida e por toda e qualquer transformação.
Todas as experiências são válidas, o aprendizado é infinito e a força interior desperta a nossa sensibilidade, visões de que dias melhores virão, a criatividade,  a sintonia de pensamentos  e as maravilhosas sincronicidades da vida, para que as sensações de felicidade, paz e equilíbrio sejam uma constante em todos os nossos momentos.

Mas a mágica só acontece quando desejemos algo com todo o nosso coração e, para tanto, precisamos dar o primeiro passo e seguirmos a nossa intuição, mesmo que o caminho à nossa frente pareça ser de espinhos...

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Lidando com a autoestima pós-tratamento...




Está difícil perder os quilos a mais que ganhei depois do tratamento...
Já faz mais de um ano e dois meses que terminei as quimios e não consigo emagrecer de jeito nenhum, mesmo praticando pilates duas vezes por semana e fazendo dieta. Acredito que a insuficiência hormonal esteja contribuindo para esse ganho de peso!
Conclusão: nunca me senti tão fora de forma, ou melhor dizendo, nunca me senti tão na forma REDONDA! rsrsr (rir para não chorar)! Isso mexe com a autoestima da gente! 
Hoje, comentando isso com um grupo de colegas no trabalho, um colega meio sem noção chegou a comentar: - Imagina, você ainda está pegável! (corei na hora) rsrs
Minha nossa, PEGÁVEL?????? Não sei muito bem o que isso significa, mas prefiro encarar como um elogio, não é? rsrs

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Vem chegando o verão...e a minha agonia também!


Dois dias de calor intenso em São Paulo já bastaram para me transformar  num verdadeiro caco! Os fogachos voltaram com força total, sinto como se eu estivesse em chamas, e duas noites mal dormidas já foram suficientes para me deixar bem mal humorada!
No trabalho então, nem se fale, mesmo com o ar condicionado ligado, os fogachos estão implacáveis e fico molhadinha de suor, sem contar que o incomodo é enorme. O pior de tudo é que eu não posso efetuar a reposição hormonal e o medicamento que eu estava tomando para os fogachos, o Amato, não está surtindo o mesmo efeito de outrora! Nem o uso de roupas leves, bebida gelada, ou outro recurso tem adiantado! Li que a menopausa cirúrgica (que é o meu caso) costuma ser bem pior do que a menopausa convencional, pois quando se tem os ovários, mesmo após a menopausa, os mesmos continuam liberando uma pequena quantidade de hormônios, já no meu caso ...
Fico imaginando o que será de mim até o final do verão... Afiiii!

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

A vida de um paciente oncológico é como uma viagem de montanha russa!


Olá leitores, tudo bem com vocês?
Esta semana estive em consultas no AC Camargo e um dos exames me deixou com uma pulguinha atrás da orelha! A tomografia constatou uma imagem nodular de 7 mm em meu abdômen, a qual deverá ser  acompanhada e, por esta razão, terei que repetir os exames em dois meses!
Durante a minha consulta com o Dr. Carlos Faloppa, enquanto aguardávamos o sistema onde está meu prontuário funcionar, falamos de nossa paixão comum por montanhas russa e isso me fez pensar em redigir um texto, criando  uma comparação da vida do paciente com câncer com  uma viagem de montanha russa. Segue aí o texto:

“Embarcamos nessa viagem contra a nossa vontade e transformamos o friozinho na barriga em coragem para seguirmos em frente nessa jornada alucinante!
Não há tempo nem para nos prepararmos e lá vamos nós com as nossas fobias, pantofobias e o receio de tudo!  Acompanhamos os sobes e desces dos marcadores tumorais,  de nossa fé, de nosso ânimo, de nossa coragem, mas não temos outra escolha a não ser seguirmos em frente.
Mas para que a viagem transcorra bem,  vale a pena seguirmos algumas regras de segurança:
Não viaje sozinho, tenha sempre alguém ao seu lado ou à sua frente, ou mesmo atrás, pois o que conta é estabelecer uma ligação com alguém, como a confiança depositada em seu médico, o apoio de sua família e dos amigos, pois tudo vale para tornar a sua viagem mais tranquila!
Deixe-se levar e procure não se preocupar com o que virá pela frente, pois só assim sentirá paz!
Durante os sobes e desces, feche os seus olhos e sinta o vento sem se preocupar com o tempo. Sinta-se voar, sem destino, mas sem parar. Procure levantar os braços e agradecer a Deus todos por estar vivo.
É normal sentir medo, mas deve-se sempre transformar esse medo em amor pela vida e em garra para vencer cada obstáculo.
Depois de muitos solavancos, grite, chore, extravase todos os seus sentimentos.
O looping serve apenas para que possamos mudar a nossa perspectiva e vermos a vida sobre outro ângulo fantástico.
Por fim, devemos nos acalmar, pois somente assim é que sentiremos uma tranquilidade recheada de emoção por estarmos vivos!

O importante é o modo como encaramos esta viagem. Se encarar de  uma forma positiva tudo será mais fácil, pois as curvas e descidas bruscas servem para combatermos a inércia e darmos impulso à nossa preciosa vida! IUPIIIII, BORA SER FELIZ!"

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Como manter o bem estar emocional quando você tem câncer de ovário

O câncer desencadeia no paciente e em sua família diferentes reações psíquicas, sendo o diagnóstico um momento crucial para o possível surgimento de diversos sintomas emocionais, dentre eles a depressão.
Na maioria das vezes, esses sintomas podem aparecer tanto no início da doença como após procedimentos cirúrgicos, ou ainda, até o prolongamento de todo o tratamento, onde em cada situação distinta o paciente se vê obrigado a fazer novas adaptações cotidianas.
A instabilidade emocional durante o tratamento se torna freqüente, podendo ocorrer alterações tanto do humor como do comportamento; sentindo-se angustiado, desmotivado, ansioso, sem controle de sua própria vida, e a partir daí desenvolver pensamentos fantasiosos de dor, sofrimento, morte ou cura.
Vale lembrar que essas reações são perfeitamente aceitas e muito comuns, no entanto, devem ser atenuadas.
Muitas mulheres podem viver com câncer de ovário durante muitos anos. É por isso que é importante manter-se bem fisicamente e emocionalmente o quanto lhe for possível, seja através da combinação de exercícios, como caminhada ou natação, e outros hábitos saudáveis, como alimentar-se bem, não fumar...

O papel da nutricionista
O câncer de ovário pode afetar o trato gastrointestinal. Então se você tem esse tipo de câncer, você deve prestar muita atenção para os problemas digestivos. Uma nutricionista pode ajudar. Você pode pedir ao seu médico para lhe indicar uma.

O estado de espírito
Também é importante manter um estado de espírito positivo. Você pode fazer isso de várias maneiras - através de exercícios, meditação, religião, espiritualidade, e, se necessário, medicamentos antidepressivos.

Encontrar apoio psicológico
Isto irá ajudá-la a manter um forte relacionamento com a sua equipe de saúde. Você pode solicitar ao seu médico, prestador de cuidados de saúde ou assistente social do hospital para que lhe recomende um terapeuta treinado. 
Muitas mulheres tentam fazê-lo por conta própria, mas é uma enorme carga emocional. As mulheres vão ver um especialista para tratar o câncer, mas muitas vezes elas não procuram um especialista em como lidar com as emoções causadas pelo câncer.
Um grupo de apoio, especificamente algum composto por mulheres que têm câncer de ovário, pode ser útil. Esses grupos atuam como uma rede, como uma estrutura de apoio. Em um grupo de apoio poderá passar algum tempo com as mulheres que sobreviveram ao câncer. Há sobreviventes. As mulheres precisam saber disso.
No Brasil, ainda não existe um grupo de apoio local especifico para o câncer de ovário, mas é possível encontrar suporte on-line como por exemplo: o Instituto Oncoguia, blogs sobre o assunto...
Ainda assim, a decisão de procurar um grupo de apoio é uma questão pessoal. Algumas mulheres se beneficiam deles, enquanto outras não. Mas as mulheres com câncer de ovário também podem ganhar capacitação emocional, educando-se a sí próprias a conviver com a doença.

Procurar aconselhamento e cuidados especializados
É importante que as pacientes estejam conscientes do que está acontecendo com elas. A maioria das mulheres com câncer de ovário não pode, por diversas razões, ser tratada em um centro oncológico, onde encontramos grandes equipes de saúde especializadas no tratamento de câncer do sistema reprodutivo de uma mulher. Mas elas podem estar em contato com ginecologistas especializados em oncologia.

Manter as estatísticas em perspectiva
Muitos profissionais de saúde recomendam que você pesquisa o seu câncer e que solicite a sua equipe de saúde os devidos esclarecimentos sobre o seu caso, mas tome cuidado para não interpretar as estatísticas muito literalmente.
É muito importante que a mulher não assuma tudo o que lê, que aplique tudo para si mesma, pois cada caso é um caso. Faça uma lista de perguntas antes de ir ao consultório médico.  Você deve sentir que todas as suas dúvidas e preocupações estão sendo sanadas. Eu acho que se as coisas não são claras, se uma pergunta não for respondida, você deve repetir a pergunta. Sempre manter linhas claras de comunicação com todos os membros da equipe de saúde.

Um período de refazimento
O período de doença pode ser entendido como um momento pelo qual pode-se aumentar o autoconhecimento, aprender com sintomas que são sentidos em seu corpo, e desenvolver-se como pessoa. Ou seja, uma forma de poder refazer-se plenamente e de maneira significativa, visando uma melhor qualidade de vida e melhor entendimento do adoecer, desde o diagnóstico ao fim do tratamento.


terça-feira, 24 de setembro de 2013

As mulheres podem reduzir o risco de cânceres ginecológicos



Science Daily - 16 de setembro de 2013 – Perder peso, conhecer a história familiar, existem várias coisas que as mulheres podem fazer para reduzir o risco de desenvolver certos tipos de câncer e melhorar suas chances de sobrevivência se chegar a desenvolver um deles, de acordo com a Sociedade de Oncologia Ginecológica (SGO), a principal organização de médicos e outros profissionais de saúde especializados em cânceres femininos.
Durante o mês de setembro - mês da consciência do câncer ginecológico - ginecologistas especialistas em oncologia estão fazendo várias recomendações sobre cânceres femininos - cervical, endométrio (útero), ovário, vaginais e vulvares.

Aqui está o que a SGO recomenda:

Conheça sua história familiar: Se você tem um histórico familiar de câncer de mama ou câncer de ovário, efetuar um aconselhamento genético e considerar o teste genético. O câncer de ovário é difícil de ser detectado precocemente e é o mais mortal dos cânceres. Tendo tido membros da família com câncer de ovário ou de mama, isso pode aumentar o risco para ambas as doenças. Além disso, em famílias com cancro do cólon e de endométrio, também pode haver um risco acrescido de cancros ginecológicos. O aconselhamento genético pode ajudar a determinar o seu risco, de modo que você pode então considerar algumas medidas para baixá-lo se ele é alto. Essas medidas podem incluir um monitoramento mais intensivo ou prevenção cirúrgica.

Monitore o seu peso: câncer de endométrio (útero) é o mais comum dos cânceres das mulheres, e estar acima do peso é um importante fator de risco para desenvolver a doença. Perder peso pode reduzir significativamente o risco, e pode ajudá-la a sobreviver, se você desenvolver o câncer.

Vacine-se:  câncer do colo do útero já foi o câncer que mais matou mulheres em todo o mundo, mas o teste Papanicolau reduziu significativamente a taxa de mortalidade. O câncer do colo do útero pode ser praticamente eliminado se todas as meninas e meninos forem vacinados contra o vírus do papiloma humano (HPV), o vírus responsável pelo câncer do colo do útero. Como adulto, você pode reduzir o risco mediante o teste para o HPV e falar com seus médicos sobre a necessidade de monitoramento, se você tem o vírus.

Procure um Especialista: Se você tem um câncer ginecológico, você terá uma melhor chance de sobrevivência se for tratado por especialistas em oncologia ginecológica, mostram os estudos. Oncologistas ginecológicos são treinados e experientes na maioria dos tratamentos para esses tipos de câncer específicos, tem acesso a ensaios clínicos e fazem parte de equipes com outros profissionais de saúde para atenção integral. Se você tiver sido diagnosticado ou se você tem alto risco em desenvolver um câncer ginecológico, consulte um especialista em oncologia ginecológica.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Cicatrizes...



Esse texto, que não foi escrito por mim, é dedicado às milhares de mulheres mutiladas ou marcadas por cicatrizes! Vaidade de lado, o que importa é que estamos vivas!

"Se eu acordo, olho-me no espelho e enxergo essa cicatriz, ao contrário do que você pensa, eu não vejo uma mutilação ou uma parte do meu corpo que eu perdi... vejo superação, vida e (por que não?) beleza, sim, eu vejo beleza nessa cicatriz, pois, por ela eu vivo. Ela marca um momento importante na minha vida, quando eu percebi que quem eu amo está do meu lado em qualquer situação. 
Eu sou uma das muitas guerreiras que não se entregaram e que nunca se entregarão. Levem partes do meu corpo, mas deixem minha vida! Minhas cicatrizes contam minha estória de uma forma singular. Viver sem uma parte de mim é muito melhor do que viver sem alma, sem vontade... Enquanto o espelho dita sua vontade, eu sigo vendo no espelho alguém que luta diariamente para viver mais um dia." (autora: Rayanne Fernandes).

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Seja um doador... Doar é um ato de amor!

Olá leitores, tudo bem?
Hoje está tendo campanha de doação de sangue aqui no meu trabalho e eu, por uma razão óbvia, não poderei participar!
Também faço parte do banco de doadores de medula, de órgãos, enfim... depois desse "probleminha" que tive não poderei doar nadica de nada do meu corpitcho, pois fiquei "estragadinha"para essa finalidade!(rsrs)
Mas continuarei por aqui doando a minha experiência, as minhas palavras de ânimo e fé está bem?
Ah, e quem está bem de saúde, por que não aderir à causa e ser um doador? Doar é um ato de Amor!
Beijos a todos.

domingo, 15 de setembro de 2013

A vida pós câncer!

Após um longo tratamento contra um câncer, passei por um processo de transformação e reinventei a minha vida.  
 A doença vem, geralmente, para provocar mudanças necessárias, para quebrar padrões de comportamento, para nos ensinar a baixar a guarda! É uma oportunidade para passar a limpo uma vida inteira...
A gente descobre que não precisa de muito para ser feliz e passa a não mais idealizar coisas, situações, posições ou pessoas!
Quando a gente vê a vida com os olhos da morte, a gente enxerga muito mais além, tudo passa a ser tão óbvio, tão simples...
Acho que acabei pagando um preço muito alto para aprender a me amar mais, para amar mais a vida, para ser mais relaxada, mais light, para me cobrar menos e para cobrar menos os outros, mas valeu a pena, pois aprendi que tudo na vida é passageiro e que a vida vale muito a pena ser vivida, vale a pena ser feliz!

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Células cancerosas parecem mudar ao passar por todo o corpo


12 de agosto de 2013 - Para a maioria dos pacientes com cancro, não é o tumor primário que é letal , mas a propagação ou " metástase " de células cancerosas do tumor primário para localizações secundárias em todo o corpo que é o problema. É por isso que o principal foco da investigação do cancro é como parar ou lutar contra a metástase.Estudos laboratoriais sugerem que as células cancerosas em metástase passam por uma grande mudança molecular quando eles saem do tumor principal - um processo chamado de transição epitelial mesenquimal ( EMT) . Como as células viajam de um local para outro, elas adquirem novas características. Mais importante, elas desenvolvem uma resistência à quimioterapia, que é eficaz no tumor primário. Mas o processo de confirmação de EMT só ocorreu em tubos de ensaio ou em animais.Em um novo estudo, publicado no Journal of Ovarian Research , Georgia Tech,  cientistas têm evidências diretas de que EMT ocorre em seres humanos  pelo menos em pacientes com câncer de ovário. Os resultados sugerem que os médicos devem tratar os pacientes com uma combinação de drogas: aquelas que matam as células cancerosas em tumores primários e drogas que têm como alvo as características únicas de células de câncer que se espalhar pelo corpo.Os pesquisadores analisaram ovário e tecidos cancerosos abdominais correspondente em sete pacientes. Patologicamente  as células pareciam exatamente a mesma, o que implica que elas simplesmente cairam do tumor primário e se espalharam para a área secundária sem alterações. Mas, ao nível molecular, as células eram muito diferentes. Aquelas na área metastática exibiam assinaturas genéticas consistentes com EMT. Os cientistas não viram o processo acontecer, mas eles sabem que isso aconteceu."É como perceber que um pedaço de bolo desapareceu de sua cozinha e você se vira para ver sua filha com chocolate no rosto ", disse John McDonald , diretor do Centro de Pesquisa do Câncer Integrada da Georgia Tech e investigador principal do projeto. "Você não a viu comer o bolo, mas a evidência é esmagadora. Os padrões de expressão gênica dos cânceres metastáticos exibem perfis de expressão gênica que inequivocamente são identificados como tendo passado por EMT . "O processo EMT é um componente essencial do desenvolvimento embrionário e permite a redução da aderência celular e aumento do movimento das células .De acordo com Bento Benigno , colaborando médico sobre o papel, CEO do Instituto do Câncer do ovário e diretor de oncologia ginecológica no Hospital Northside de Atlanta, "Estes resultados indicam claramente que as células de câncer de ovário metástase são muito diferentes daqueles que compreende o tumor primário e provavelmente vai exigir novos tipos de quimioterapia , se vamos melhorar os resultados dos pacientes ".O câncer de ovário é o mais maligno de todos os cânceres ginecológicos e responsável por mais de 14.000 mortes por ano nos Estados Unidos sozinho. Muitas vezes, não revela os primeiros sintomas e não é normalmente diagnosticado até depois se espalha ."Nossa equipe está esperançosa de que , por causa das novas descobertas , o corpo substancial de conhecimento que já foi adquirido em forma de bloquear EMT e reduzir a metástase em modelos experimentais podem agora começar a ser aplicado aos seres humanos ", disse Georgia Tech estudante Loukia
Lili , co- autor do estudo .

CÂNCER DE OVÁRIO - NOSSA VOZ GANHANDO FORÇAS

Há 5 anos atrás muito pouco se ouvia falar sobre câncer de ovário! Muitas mulheres diagnosticadas com ca de ovário  sofriam caladas e isol...