Translate

O porque do Blog

Fala-se muito sobre câncer de mama, mas pouco sobre câncer de ovário, um tipo letal, silencioso, difícil de ser diagnosticado e cujos sintomas são confundidos com males comuns, tais como: dor ou desconforto pélvico ou abdominal persistentes; gases, náuseas e indigestões; vontade de urinar frequente; perda ou ganho de peso inexplicável; pelve ou abdômen inchados e/ou com sensação de cheio; cansaço frequente. Eu não poderia viver toda essa experiência calada, discreta e escondida. Se eu tenho um canal de comunicação eficaz eu tenho a obrigação, enquanto mulher, de fazer divulgar a minha luta contra o câncer de ovário, fazendo as mulheres perceberem o quanto é importante conhecer esta doença, como uma forma de se prevenirem contra a mesma, uma vez que o diagnóstico é tão difícil. Por isso, criei este blog, que tem sido o meu apoio durante vários momentos de incertezas e dúvidas, e também de alegrias, pois alivia-me desabafar todas as minhas experiências, boas e ruins, e compartilhá-las com vocês leitores. Meu compromisso com vocês, de estar aqui, de me fazer presente e de dar continuidade a esse trabalho foi um dos alicerces que me sustentou nos momentos difíceis. Este blog é muito precioso para mim, pois através desse espaço posso compartilhar com vocês minhas experiências pessoais e informações gerais sobre o câncer de ovário e ainda, sobre a importância de persistir na luta com fé, coragem, alegria e determinação!

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Cuidados que o paciente oncológico deve ter no Carnaval

Publicação de AC Camargo


Todo paciente oncológico passa por diversas etapas durante seu tratamento, do diagnóstico à reabilitação. Independentemente da sua fase nessa jornada, certos cuidados específicos são necessários para curtir a folia do carnaval. Confira as dicas da nossa equipe multidisciplinar:

Pacientes em tratamento quimioterápico

"A principal dica é evitar locais muito cheios, com aglomeração de pessoas. Também é importante enfatizar: consumo de bebidas alcoólicas está proibido. Lembre-se de se proteger do sol e manter-se bem hidratado", comenta Dra. Solange Sanches, Diretora de Oncologia Clínica.

Atenção aos medicamentos 

"Bebidas alcoólicas e medicamentos não dão samba. Quando combinados, podem inibir ou aumentar os efeitos, interferindo no sucesso do seu tratamento. Depois da folia, não assuma o risco da automedicação. Procure sempre um médico ou farmacêutico", equipe de Farmácia.
Pacientes em tratamento radioterápico
"O ponto de atenção para esses pacientes está relacionado à pele: adesivos e pinturas - típicas do carnaval - não devem ser aplicadas nas áreas irradiadas, que também devem estar bem protegidas do sol. Evite ainda o consumo de bebida alcoólica e jejuns prolongados", diz Dr. Antonio Cassio Pellizzon, Diretor de Radioterapia.
Enfermagem 
(ainda não recebi. Inserimos depois, se enviarem)
Pacientes pós-cirúrgicos
"Cada cirurgia exige cuidados específicos. Siga rigorosamente as orientações de seu cirurgião sobre movimentos, alimentação, ingestão de bebidas e uso de medicamentos", recomenda Dr. Ademar Lopes, Vice-Presidente da Fundação Antônio Prudente e Diretor do Núcleo de Sarcomas.
Cuidados com a alimentação
A alimentação de todo paciente durante o tratamento deve ser saudável e equilibrada. Os cuidados são principalmente em relação à higienização dos alimentos e utensílios, além da hidratação. Confira as dicas da equipe de Nutrição:
Evite consumir alimentos fora de casa. Caso seja necessário, evite o consumo de frutas, verduras e legumes crus, pois há riscos em relação à correta higienização desses alimentos;
Ao comprar produtos no mercado, higienize a embalagem, ainda fechada, com água e sabão ou papel toalha com álcool em gel a 70%. Muitas embalagens ficam expostas a ambientes contaminantes e são manipuladas por diversas pessoas;
Carnaval é uma época muito quente. A hidratação é fundamental. O consumo de água deve ser de, no mínimo, 2 litros por dia, preferencialmente nos intervalos das refeições. Outros líquidos podem ajudar na hidratação, como sucos naturais, chás e água de coco, mas a água sempre deve ser o mais importante;
Alimentar-se de forma saudável e equilibrada é consumir regularmente frutas e hortaliças, leites e derivados magros, carnes (com preferência para carnes brancas), grãos e cereais.
Todo paciente oncológico passa por diversas etapas durante seu tratamento, do diagnóstico à reabilitação. Independentemente da sua fase nessa jornada, certos cuidados específicos são necessários para curtir a folia do carnaval. Confira as dicas da nossa equipe multidisciplinar:

Pacientes em tratamento quimioterápico

"A principal dica é evitar locais muito cheios, com aglomeração de pessoas. Também é importante enfatizar: consumo de bebidas alcoólicas está proibido. Lembre-se de se proteger do sol e manter-se bem hidratado", comenta Dra. Solange Sanches, Diretora de Oncologia Clínica.

Atenção aos medicamentos 

"Bebidas alcoólicas e medicamentos não dão samba. Quando combinados, podem inibir ou aumentar os efeitos, interferindo no sucesso do seu tratamento. Depois da folia, não assuma o risco da automedicação. Procure sempre um médico ou farmacêutico", equipe de Farmácia.

Pacientes em tratamento radioterápico

"O ponto de atenção para esses pacientes está relacionado à pele: adesivos e pinturas - típicas do carnaval - não devem ser aplicadas nas áreas irradiadas, que também devem estar bem protegidas do sol. Evite ainda o consumo de bebida alcoólica e jejuns prolongados", diz Dr. Antonio Cassio Pellizzon, Diretor de Radioterapia.

Pacientes pós-cirúrgicos

"Cada cirurgia exige cuidados específicos. Siga rigorosamente as orientações de seu cirurgião sobre movimentos, alimentação, ingestão de bebidas e uso de medicamentos", recomenda Dr. Ademar Lopes, Vice-Presidente da Fundação Antônio Prudente e Diretor do Núcleo de Sarcomas.

Cuidados com a alimentação

A alimentação de todo paciente durante o tratamento deve ser saudável e equilibrada. Os cuidados são principalmente em relação à higienização dos alimentos e utensílios, além da hidratação. Confira as dicas da equipe de Nutrição:
Evite consumir alimentos fora de casa. Caso seja necessário, evite o consumo de frutas, verduras e legumes crus, pois há riscos em relação à correta higienização desses alimentos;
Ao comprar produtos no mercado, higienize a embalagem, ainda fechada, com água e sabão ou papel toalha com álcool em gel a 70%. Muitas embalagens ficam expostas a ambientes contaminantes e são manipuladas por diversas pessoas;
Carnaval é uma época muito quente. A hidratação é fundamental. O consumo de água deve ser de, no mínimo, 2 litros por dia, preferencialmente nos intervalos das refeições. Outros líquidos podem ajudar na hidratação, como sucos naturais, chás e água de coco, mas a água sempre deve ser o mais importante;
Alimentar-se de forma saudável e equilibrada é consumir regularmente frutas e hortaliças, leites e derivados magros, carnes (com preferência para carnes brancas), grãos e cereais.

Pacientes com cateter, drenos e sondas

"Pacientes que possuem cateteres externos, drenos e sondas precisam ter cuidado especial para evitar traumas, perdas ou outras complicações. A dica também é válida para aqueles estomizados há um tempo. Caso esteja com receio de descolamento da bolsa e da base, utilize o cinto de estoma para maior fixação. A criatividade também conta: entre no clima e elabore uma fantasia que ajude na segurança do dispositivo. E lembre-se de esvaziar a bolsinha periodicamente, sempre que atingir 1/3 da capacidade", comenta Patrícia Pereira dos Anjos, enfermeira.

Outros cuidados gerais

"De modo geral, evite sair ou viajar para locais com aglomeração de pessoas, como praias, por exemplo. Escolha lugares frescos e monte seu próprio kit, com água, medicações, etc. Por mais desbravador que você seja, organize-se. É importante planejar seu trajeto e destino final. Jornadas maiores ou não programadas podem gerar mal estar. Por fim, tenha sempre alguém com quem contar, caso precise de ajuda", lembra Simone Navarro, enfermeira.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Nomenclatura de Neoplasias

Esse artigo poderá ser útil para elucidar algumas dúvidas quanto à nomenclatura utilizada para denominar as neoplasias!

Publicado por: Luis Fernando Johnston Costa 
 

Regra geral para nomenclatura
       A nomeação dos tumores baseia-se na sua histogênese e histopatologia. Para os tumores benignos, a regra é acrescentar o sufixo "oma" (tumor) ao termo que designa o tecido que os originou.
Exemplos:
tumor benigno do tecido cartilaginoso – condroma;
tumor benigno do tecido gorduroso – lipoma;
tumor benigno do tecido glandular – adenoma.
        Quanto aos tumores malignos, é necessário considerar a origem embrionária dos tecidos de que deriva o tumor. Quando sua origem for dos tecidos de revestimento externo e interno, os tumores são denominados carcinomas. Quando o epitélio de origem for glandular, passam a ser chamados de adenocarcinomas. Já os tumores malignos originários dos tecidos conjuntivos ou mesenquimais será feito o acréscimo de "sarcoma" ao vocábulo que corresponde ao tecido. Por sua vez, os tumores de origem nas células blásticas, que ocorrem mais freqüentemente na infância, têm o sufixo "blastoma" acrescentado ao vocábulo que corresponde ao tecido original.
Exemplos:
Carcinoma basocelular de face – tumor maligno da pele;
Adenocarcinoma de ovário – tumor maligno do epitélio do ovário;
Condrossarcoma - tumor maligno do tecido cartilaginoso;
Lipossarcoma - tumor maligno do tecido gorduroso;
Leiomiossarcoma - tumor maligno do tecido muscular liso;
Hepatoblastoma - tumor maligno do tecido hepático jovem;
Nefroblastoma - tumor maligno do tecido renal jovem.      
Exceções
  1. Tumores embrionários Teratomas (podem ser benignos ou malignos, dependendo do seu grau de diferenciação), seminomas, coriocarcinomas e carcinoma de células embrionárias. São tumores malignos de origem embrionária, derivados de células primitivas totipotentes que antecedem o embrião tridérmico.
  2. Epônimos São tumores malignos que receberam os nomes daqueles que os descreveram pela primeira vez: linfoma de Burkitt, Doença de Hodgkin, sarcoma de Ewing, sarcoma de Kaposi, tumor de Wilms (nefroblastoma), tumor de Krukemberg (adenocarcinoma mucinoso metastático para ovário).
  3. Nomes complementares: Os carcinomas e adenocarcinomas podem receber nomes complementares (epidermóide, papilífero, seroso, mucinoso, cístico, medular, lobular etc.), para melhor descrever sua morfologia, tanto macro como microscópica: cistoadenocarcinoma papilífero, carcinoma ductal infiltrante, adenocarcinoma mucinoso, carcinoma medular, etc.
  4. Epitélios múltiplos Os tumores, tanto benignos como malignos, podem apresentar mais de uma linhagem celular. Quando benignos, recebem o nome dos tecidos que os compõem, mais o sufixo "oma": fibroadenoma, angiomiolipoma, etc. O mesmo é feito para os tumores malignos, com os nomes dos tecidos que correspondem à variante maligna: carcinossarcoma, carcinoma adenoescamoso, etc. Outras vezes encontram-se ter componentes benigno e maligno, e os nomes estarão relacionados com as respectivas linhagens: adenoacantoma (linhagem glandular maligna e metaplasia escamosa benigna).
  5. Sufixo indevido: Algumas neoplasias malignas ficaram denominadas como se fossem benignas (ou seja apenas pelo sufixo "oma") por não possuírem a correspondente variante benigna: melanoma, linfomas e sarcomas (estes dois últimos nomes representam classes de variados tumores malignos).
  6. Outros: Algumas vezes, a nomenclatura de alguns tumores escapa a qualquer critério histogenético ou morfológico: mola hidatiforme (corioma) e micose fungóide (linfoma não Hodgkin cutâneo).
Código Internacioal de Doenças
        Tentando uniformizar a nomenclatura tumoral, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem lançado, em vários idiomas, edições da Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10). Por ela, é possível classificar os tumores por localização (topografia) e nomenclatura (morfologia), dentro de códigos de letras e números, sendo usada por especialistas em todo o mundo. Os procedimentos oncológicos da APAC correlacionam-se com tumores classificados pelos códigos de C00 a C97 e D37 a D48, embora não obrigatoriamente todos os incluídos entre esses intervalos.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O câncer me tirou da zona de conforto!


O câncer, ah o câncer, se fosse somente com ele que eu tivesse que lutar! Essa doença, desde que surgiu em minha vida, tirou-me totalmente da minha zona de conforto! Tirou-me do meu eixo de equilíbrio na verdade! Virou tudo de ponta cabeça: meus desejos, minhas escolhas, minha vida pessoal, social, profissional, tudo mudou... Parece que passou um tsunami com força total, arrastando tudo pelo caminho e, agora, cá estou eu, novamente, tentando me refazer, recomeçar, me recompor e aceitar esse novo EU...Às vezes sinto até uma sensação de tupor, parece que estou no automático, mas ao mesmo tempo, vem aquela vontade louca de uma vida nova, com tudo diferente! Haja força e coragem para tanta mudança....Mas como costumam dizer, depois da tempestade, vem a bonança! E sigo com a vida, sempre com a esperança de dias melhores!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Ósmio pode ser 50 vezes mais ativo que a platina, relatam pesquisadores!



Pesquisadores testemunharam - pela primeira vez - que as células cancerígenas são alvejadas e destruídas, por um composto organo-metal descoberto pela Universidade de Warwick.
O professor Peter J. Sadler e seu grupo no Departamento de Química demonstraram que o Organo-Osmium FY26 - que foi descoberto pela primeira vez em Warwick - mata as células cancerosas ao localizar e atacar sua parte mais fraca.
Esta é a primeira vez que um composto à base de ósmio - que é cinqüenta vezes mais ativo do que a platina - foi visto para direcionar a doença.
Mais da metade de todos os tratamentos de quimioterapia contra o câncer atualmente usam compostos de platina, que foram introduzidos há quase 40 anos, por isso há uma necessidade de explorar os benefícios que outros metais preciosos poderiam trazer.
Embora esta pesquisa foi realizada em células de cancro do ovário, os resultados inovadores são aplicáveis ​​a uma gama mais ampla de cancros.
FY26 mostrou ser mais selectivo entre células normais e células cancerosas do que a cisplatina - tendo um efeito maior sobre as células cancerosas do que sobre as saudáveis.
Professor Sadler comenta que esta pesquisa poderia levar a novos tratamentos de câncer: "Câncer drogas com novos mecanismos de ações que podem combater a resistência e têm menos efeitos colaterais são urgentemente necessários.
"O avançado feixe de raios-X nano-focalizado no ESRF não só nos permitiu localizar o local de ação do nosso novo fármaco candidato a Organo-Osmium FY26 em células de câncer em resolução sem precedentes, mas também estudar o movimento de metais naturais como o zinco E cálcio nas células.Esses estudos abrem totalmente novas abordagens para a descoberta de drogas e tratamento "
O grupo do professor Sadler, incluindo os pesquisadores Carlos Sanchez e Isolda Romero Canelon, obteve seus resultados com o dr. Peter Cloetens e seus colegas no ESRF em Grenoble, uma poderosa fonte de sincrotrão que emite feixes de raios X extremamente poderosos.
O Dr. Peter Cloetens comenta o processo: "Esses tipos de experimentos são normalmente realizados usando doses maiores do que o que seria feito na vida real ou em uma escala grosseira que não fornece uma imagem clara dos processos que ocorrem.No novo nano -imaging ID16A linha de luz, no entanto, combinando um foco muito apertado e alto fluxo, poderíamos ter uma imagem real de onde a droga vai em uma única célula usando real-vida farmacológica doses ".
A pesquisa, "Nanoprobe de fluorescência de raios X Synchrotron revela locais-alvo para complexo de Ósmio Organo em células de câncer de ovário humano", é publicado em Química - A European Journal .

História Fonte:
Materiais fornecidos pela Universidade de Warwick . Nota: O conteúdo pode ser editado para estilo e tamanho.

Referência do Diário :
  1. Carlos Sanchez-Cano, Isolda Romero-Canelón, Yang Yang, Ian J. Hands-Portman, Sylvain Bohic, Peter Cloetens, Peter J. Sadler. Nanoprobe da fluorescência do raio X do Synchrotron revela locais alvos para o complexo do Organo-Osmium em pilhas humanas do cancro do ovário . Química - A European Journal , 2017; DOI: 10.1002 / chem.201605911

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

PF-06647020 - uma nova esperança para câncer de ovário avançado e resistente à platina



Durante a reunião anual da Sociedade Européia de Oncologia Médica (ESMO), realizada de 7 a 11 de outubro de 2016 em Copenhague, Dinamarca, dados preliminares para PF-06647020 (um fármac conjugado fármaco-anticorpo que tem como alvo a proteína tirosina quinase 7 (PTK7) em pacientes com tumores sólidos avançados) foram apresentados como parte um resumo de última hora / cartaz (Resumo LBA35). [1]

O estudo foi inicialmente concebido como um estudo dose-escalonamento para avaliar a segurança farmacocinética e atividade antitumoral para pacientes com tumores sólidos avançados. Uma expansão pré-planejada para câncer de ovário incluiu 27 pacientes que receberam PF-06647020 .

Os dados dos ensaios clínicos também confirmam que o uso da terapia dirigida a PTK7 resultou numa resposta de aproximadamente 50% no caso de cancro da mama e uma resposta quase completa (CR) para cancro do ovário. Estes resultados de fase inicial sublinham o forte perfil de eficácia de PF-06647020. Os ensaios de fase inicial demonstraram ainda que o PF-06647020, devido à sua baixa toxicidade, é bem tolerado com um perfil de segurança aceitável.

Resultados do teste 
Até à data, 76 doentes foram tratados com PF-06647020. Um total de 60, os quais foram tratados a 2,8 mg / kg uma vez a cada 3 semanas (Q3W) / ciclo em doses crescentes de 0,2 - 3,7 mg / kg até a progressão.

A maioria dos eventos adversos tem grau 1-2 com a maioria sendo auto-limitante e nem exigindo intervenção médica. Os eventos adversos relatados mais comumente (≥ 10%) foram náuseas (46%), alopecia (34%), cefaléia (32%), fadiga (30%), neutropenia (26%), vômitos Apetite (17%), mialgia (15%), artralgia (11%) e diarréia (11%).

Quatorze pacientes (18%) apresentaram neutropenia grau 3 associada à droga e 3 pacientes (4%) descontinuaram devido a eventos adversos relacionados à droga.

29 pacientes com câncer de ovário recorrente, (idade mediana 58,5 anos [42-77]),  foram tratados com 2,1 mg / kg (1 pt). 22 pacientes atualmente avaliáveis ​​neste grupo de pacientes com câncer de ovário resistente à platina, os resultados do estudo mostraram Resposta Completa (CR) em 1 paciente, 5 pacientes tiveram Resposta Parcial, 12 pacientes tinham doença estável e 4 pacientes tinham doença progressiva. A duração média do tratamento foi de 3 ciclos (intervalo 1-13). Um total de 10 pacientes permaneceram em tratamento.

O fármaco investigativo tem como alvo a PTK7, uma proteína tirosina quinase catalisada incentivante que funciona na biologia do desenvolvimento e é mais expressa numa variedade de cancros humanos. A coloração por imuno-histoquímica exploratória através de um ensaio validado em tumores arquivísticos mostrou que todos os pacientes com cancro do ovário (OVCA) tinham uma expressão de PTK7.

Abordagem inovadora 
PF-06647020 é um anti-PTK7 Antibody-drug Conjugate desenvolvido pela Pfizer em colaboração com Stemcentrx (agora parte da AbbVie ). O novo ADC compreende um anticorpo monoclonal humanizado dirigido contra PTK7, que também é expresso em muitos tipos de tumores, ligado a uma carga útil de inibidor de microtúbulos de auristatina através de um ligante dipeptídico clivável.

Tumores Sólidos Avançados 
No estudo de fase I, PF-06647020 mostrou um perfil de segurança aceitável em doentes com neoplasias malignas avançadas, incluindo cancro da mama triplo negativo (TNBC), cancro do ovário avançado e cancro do pulmão de células não pequenas (NSCLC). O PF-06647020 também mostrou uma indicação precoce da atividade antitumoral numa população de doentes não selecionada. [2]

Nos dados apresentados durante a reunião ESMO / ECCO em 2015, PF-06647020 mostrou algumas respostas em doses acima de 2,1mg / kg em doentes com cancro da mama triplo negativo e cancro do ovário resistente à platina. Nessa altura, não foram notificadas toxicidades limitadoras de dose (DLTs) com escalonamento da dose continuando para 3,7 mg / kg. [2]

"Tanto o câncer de mama triplo negativo como o câncer de ovário resistente à platina são difíceis de tratar, e novas abordagens são urgentemente necessárias", observou Markus Joerger, MD, atendendo oncologista médico no Centro de Câncer de St. Gallen (Kantonsspital St.Gallen) em St. Gallen , Suíça, depois de analisar os resultados do ensaio apresentado na reunião anual da Sociedade Europeia de Oncologia Médica . "A atividade clínica mostrada com PF-06647020, é realmente encorajador", continuou ele.

"Benefícios clinicamente relevantes podem ser confirmados com alguns novos agentes alvo como PF-06647020 e espera-se que sua promessa inicial seja confirmada em estudos maiores", concluiu Joerger.

Última revisão: 14 de outubro de 2016

Identificação do ensaio clínico

NCT02222922

Entidade jurídica responsável pelo estudo

Pfizer

Financiamento

Pfizer

Divulgação

JC Sachdev: 1. Pfizer Investigator 2. Financiamento de pesquisa anterior da Pfizer para um IIT. M. Maitland, M. Sharma, V. Moreno, V. Boni, S. Kummar: 1. Investigador da Pfizer. B. Gibson, D. Xuan, T. Joh, E. Powell, A. Jackson-Fisher, M. Damelin, X. Xin: 1. Empregado da Pfizer 2. Proprietário da Pfizer. A. Tolcher: 1. Investigador da Pfizer 2. Ex-membro do conselho consultivo - todos os honorários pagos ao START. E. Calvo: 1. Investigador da Pfizer.

Encontro 08 de outubro de 2016
Evento Congresso ESMO 2016
Sessão Cancros ginecológicos
Tópicos Cancro do ovário 
Apresentador Jasgit Sachdev
Citação Annals of Oncology (2016) 27 (6): 1-36. 10.1093 / annonc / mdw435
Autores JC Sachdev 1 , M. Maitland 2 , M. Sharma 2 , V. Moreno 3 , V. Boni 4 , S. Kummar 5 , B. Gibson 6 , D. Xuan 6 , T. Joh 6 , E. Powell 6 , A J. Jackson-Fisher 6 , M. Damelin 6 , X. Xin 6 , A. Tolcher 7 , E. Calvo 4

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Fatores de risco do câncer de ovário!


Embora estudos científicos afirmem que metade dos casos de câncer de ovário ocorra em mulheres acima de 60 anos e que raramente acometa mulheres com menos de 40 anos, tenho me surpreendido com a grande quantidade de mulheres jovens que participam do grupo Câncer de Ovário: Juntas somos mais fortes! A mais jovem integrante foi diagnosticada aos 14 anos de idade, hoje está com 17, e temos muitas outras integrantes acometidas com câncer de ovário na faixa dos 20, 30 e 40 anos, todas elas durante a idade reprodutiva, ou seja, não tinham nem sequer chegado perto da menopausa!
Abordei esse assunto somente para alertar as leitoras que não há idade para se ter câncer de ovário!
Existem alguns fatores de risco que merecem atenção, porém, ter um fator de risco ou mesmo vários, não significa que você vai ter uma doença como o câncer. Muitas pessoas que contraem a doença podem não estar sujeitas a nenhum fator de risco conhecido. Se uma pessoa com câncer de ovário tem algum fator de risco, muitas vezes é muito difícil saber o quanto esse fator pode ter contribuído para o desenvolvimento da doença.

Vários fatores de risco podem tornar uma pessoa mais propensa a desenvolver câncer de ovário:

Idade - O risco de desenvolver câncer de ovário aumenta com a idade, e a maioria dos cânceres de ovário se desenvolve após a menopausa. Metade dos casos são diagnosticados em mulheres acima de 63 anos.

Obesidade - Alguns estudos analisaram a relação entre obesidade e câncer de ovário, e de um modo geral, as mulheres obesas, com índice de massa corporal acima de 30, têm um risco aumentado para câncer de ovário.

História Reprodutiva - Mulheres que tiveram filhos têm menor risco de câncer de ovário em relação às mulheres que nunca engravidaram. Este risco diminui a cada gravidez, sendo que a amamentação pode reduzir ainda mais esse risco.

Controle da Natalidade - As mulheres que usaram pílulas anticoncepcionais têm um menor risco de câncer de ovário. A diminuição do risco é observada apenas após 3 a 6 meses de utilização do medicamento, e o risco diminui quanto mais tempo os anticoncepcionais são utilizados. Este risco continua baixo durante muitos anos após o uso do anticoncepcional ser interrompido. Um estudo recente mostrou que as mulheres que usaram acetato de medroxiprogesterona, um contraceptivo hormonal injetável tiveram menor risco de câncer de ovário. O risco foi ainda menor para as mulheres que usaram esse medicamento por mais de 3 anos.

Cirurgia Ginecológica - A laqueadura tubária pode reduzir a chance de desenvolver câncer de ovário em até 67%. A histerectomia também parece reduzir o risco em cerca de um terço.

Medicamentos para Fertilidade - Em alguns estudos foram detectados que o uso do citrato de clomifeno por mais de um ano pode aumentar o risco de tumores de ovário. Os medicamentos usados para fertilidade parecem aumentar o risco de doença, conhecida como de baixo potencial de malignidade. Portanto, se estiver tomando medicamentos para fertilidade, sempre discuta com o seu médico os riscos potenciais. No entanto, mulheres inférteis podem ter um risco maior em relação às mulheres férteis, mesmo que estejam usando medicamentos para fertilidade. Isso pode ser em parte porque elas não tiveram filhos ou usavam pílulas anticoncepcionais. Não obstante, mais estudos estão em andamento para esclarecer essas relações.

Andrógenos - Em um pequeno estudo o uso do danazol, droga que aumenta os níveis de andrógenos, foi associado a um risco aumentado de câncer de ovário. Em um estudo mais amplo, esta ligação não foi confirmada, mas se observou que as mulheres que usam andrógenos têm um risco aumentado de câncer de ovário. Outros estudos sobre o papel dos andrógenos no câncer de ovário estão sendo desenhados.

Terapia Estrogênica e Terapia Hormonal - Alguns estudos sugerem que o uso de estrogênios após a menopausa aumenta o risco de câncer de ovário. Este risco parece ser maior nas mulheres que tomam apenas estrogênio (sem progesterona) por pelo menos 5 a 10 anos. No entanto, esse aumento do risco é incerto para mulheres que tomam estrogênio e progesterona.

Histórico Familiar de outros Cânceres - O risco de câncer de ovário é maior se um parente de primeiro grau foi diagnosticado com câncer de ovário, indiferente se for do lado materno ou paterno. 10% dos cânceres de ovário são hereditários. Um histórico familiar para alguns outros tipos de câncer causados por uma mutação herdada em certos genes pode aumentar o risco de câncer de ovário. Por exemplo, mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 aumentam o risco de câncer de mama, portanto, ter um membro da família com câncer de mama pode aumentar o risco de câncer de ovário. Outro conjunto de genes que aumenta o risco de câncer de ovário são famílias com risco aumentado de câncer colorretal. Muitos casos de carcinoma epitelial de ovário são causados por mutações genéticas hereditárias que podem ser identificados em testes genéticos.

Histórico Pessoal de Câncer de Mama - O histórico pessoal de câncer de mama aumenta o risco de câncer de ovário. Existem várias razões para isso, alguns dos fatores de risco reprodutivo para câncer de ovário também podem afetar o risco de câncer de mama. O risco de câncer de ovário após o câncer de mama é maior nas mulheres com histórico familiar de câncer de mama. Uma forte história familiar de câncer de mama pode ser causada por uma mutação herdada nos genes BRCA1 ou BRCA2, que também pode ser um fator para causar câncer de ovário.

Talco - Alguns estudos sugerem um ligeiro aumento do risco de câncer de ovário em mulheres que usavam talco sobre a área genital. No passado, o talco continha amianto, um conhecido mineral cancerígeno. Em alguns estudos isso explica a associação com o câncer de ovário. Há 20 anos está proibido a adição de amianto aos produtos em pó para corpo e rosto. No momento, não existem evidências que liguem o pó de amido de milho com quaisquer cânceres femininos.

Dieta - Mulheres que seguem uma dieta com baixo teor de gordura, por pelo menos 4 anos, têm um risco menor de câncer de ovário. Recomenda-se que as mulheres tenham uma dieta com grande variedade de alimentos saudáveis, com ênfase em fontes vegetais, alimentando-se diariamente pelo menos com 2-3 porções de frutas, legumes, grãos inteiros, pães, cereais, arroz, macarrão ou feijão. É recomendada, ainda uma limitação na ingestão de carne vermelha e carnes processadas, mesmo que o impacto dessas recomendações dietéticas sobre o risco de câncer de ovário ainda seja incerta. Essas orientações podem ajudar a prevenir várias outras doenças, incluindo alguns outros tipos de câncer.

Analgésicos - Em alguns estudos, tanto a aspirina como o acetaminofeno mostraram ser capazes de reduzir o risco de câncer de ovário. No entanto, essa informação não é consistente. As mulheres que não fazem uso destes medicamentos regularmente para outras condições de saúde não devem começar a fazê-lo para tentar prevenir o câncer de ovário, pois ainda são necessários mais estudos sobre o assunto.

Tabagismo e Álcool - O tabagismo e o uso de álcool não aumentam o risco do câncer de ovário, mas alguns estudos indicam que pode aumentar o risco para o tipo mucinoso.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Quando pedir uma segunda opinião médica

Tenho visto no grupo, Câncer de Ovário: Juntas somos mais fortes, alguns questionamentos sobre quando procurar uma segunda opinião médica. Eu, particularmente, acho de extrema importância poder discutir com o médicode forma aberta, o diagnóstico, o prognóstico e as opções de tratamento. Há mais de 5 anos, sou acompanhada pelo Dr. Carlos Faloppa, cirurgião oncoginecológico do AC Camargo e temos tido uma excelente relação médico-paciente! Eu o procurei logo após ter recebido o diagnóstico de câncer de ovário em um outro hospital e, digo a vocês que foi a melhor decisão que pude tomar em minha vida!

Esse artigo elucida o porquê devemos procurar outras opiniões e condutas médicas quando se tem dúvidas, ou  quando não se está seguro! 

Por quê?

É uma boa idéia ter opiniões adicionais sempre que o paciente ou os familiares sentem-se incertos sobre os conselhos que estão sendo dados. Os médicos geralmente concordam com condutas e tratamentos bem estabelecidos e conhecidos para alguns tipos de neoplasias, mas podem discordar em relação a outros tipos de câncer. Nem sempre uma pessoa busca uma outra opinião com a intenção de mudar de médico, mas apenas para se sentir mais segura com o que está acontecendo.
Mesmo quando há concordância que determidada conduta é a que tem mais chance de controlar a doença, podem existir ainda dúvidas sobre efeitos colaterais e a capacidade do paciente tolerar o tratamento, além da possibilidade de melhora ou piora da qualidade de vida com determinado tratamento. Às vezes podem ser necessárias até três ou quatro avaliações diferentes para que o paciente se sinta seguro de qual é o melhor caminho a ser seguido.

O diagnóstico está correto?

Ocasionalmente a própria confirmação do diagnóstico requer uma segunda opinião. Isto pode significar que é necessária uma revisão da biópsia por um segundo patologista, ou que outro radiologista verifique a radiografia (ou outro exame de imagem) para ter certeza da acurácia do diagnóstico.

Qual tratamento é melhor?

Muitas pessoas procuram outro especialista para ajudá-las a escolher entre opções sugeridas pelo seu médico, ou para checar outras possibilidades.
As terapias usadas contra o câncer podem causar conseqüências a longo prazo, como mudanças na aparência, infertilidade, necessidade de uso de bolsas de colostomia. Os benefícios de um determinado tratamento, portanto, devem ser balanceados com as possíveis conseqüências (ou efeitos colaterais). Terapias diferentes apresentam várias vantagens e desvantagens que o paciente deve pesar, em ralação ao estágio da vida, necessidades de carreira, expectativas da família, esperanças e desejos próprios.
Mesmo quando duas opções de tratamento são similares em relação à eficácia, elas podem apresentar efeitos muito diferentes na vida de uma pessoa. Por isso, há necessidade de o máximo de informação possível antes da tomada de uma decisão.

Segundas opiniões durante o tratamento

A decisão de procurar outras opiniões não é tomada apenas antes do tratamento. Ocasionalmente no meio do tratamento ocorrem dúvidas, pelo fato do tumor não estar respondendo do modo esperado. Ou no final de um tratamento, pode ser necessária a avaliação sobre a necessidade de alguma terapia comlementar.

Quando uma segunda opinião é necessária?

  • O médico não consegue determinar a causa de seus sintomas;
  • Você quer confirmar a primeira recomendação do tratamento feita;
  • Seu médico não é oncologista;
  • Seu médico não tem experiência em tratar o seu tipo específico de câncer;
  • Você quer se assegurar que está recebendo o tratamento mais recomendado;
  • Você está preocupado em relação a efeitos colaterais de curto e longo prazo em relação ao tratamento recomendado;
  • Você está interesado em tratamentos experimentais;
  • Você tem problemas de comunicação com seu médico;
  • O tratamento recomendado interferirá com o modo em que você leva sua vida, e você quer saber se existem outras opções;
  • Você não confia no seu médico, ou se sente desconfortável com as suas recomendações;
  • Seu médico está subestimando a seriedade de sua condição de saúde ou de suas preocupações.

Quando as opiniões são conflitantes

Um médico pode recomendar tratar determinado tipo de câncer com uma combinação de cirurgia radical, associada a radioterapia posterior, mais quimioterapia agressiva. Outro médico, no entanto, prefere um tratamento mais conservador, com cirurgia menos agrassiva, associada ou não a tratamentos posteriores. Como você pode decidir qual caminho a seguir?
Neste ponto, um oncologista deve saber explicar todos os prós e os contras de cada proposta. O seu médico de referência pode ajudar a apontar as vantagens e desvantagens das recomendações conflitantes. O importante é não se sentir pressionado a definir uma decisão até que se esteja satisfeito de que toda informação necessária esteja clara.
O importante é ter confiança no que está sendo feito. É o primeiro caminho para o sucesso.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

10 sinais de câncer de Ovário que não podem ser ignorados


Existem alguns sinais do Câncer de Ovário que não devemos ignorar de forma alguma.
O câncer de ovário é o mais silencioso de todos os cânceres. Ele não tem sintomas muito particulares e é difícil de ser diagnosticado e, quando ele se torna rastreável, isso geralmente acontece quando já se encontra em um estágio avançado. No entanto, existem alguns sinais precoces que podem ajudar a rastrear o câncer de ovário, mas estes sinais também podem indicar outras doenças. Por isso, observe bem antes de tirar conclusões precipitadas.

As mulheres são mais propensas a ter sintomas quando a doença já se espalhou para além dos ovários (metástase). Estes sintomas podem também ser causados por outros tipos de doenças. Quando são causados por câncer de ovário, estes sintomas tendem a ser persistentes e representam uma mudança do que é normal. Por exemplo, os sintomas podem ser mais graves ou ocorrem mais frequentemente. Portanto verifique com seu médico se qualquer um dos sinais persistem por mais de 2 semanas. Então, confira Os 10 Sinais do Câncer de Ovário que não Devem ser Ignorados.

Inchaço Abdominal: Você pode sentir seu abdômen gasoso ou inchado com mais frequência.

Constipação: Ataques regulares de constipação e evacuações irregulares. Tente comer mais alimentos ricos em fibras e veja se isso muda.

Dor Pélvica: Você pode sentir desconforto ao redor da região pélvica que não acaba mesmo tomando analgésicos.

Dor na Região Lombar: Dor lombar e desconforto é outro sinal do Câncer de Ovário que não Deve ser Ignorado, mas avalie a atividade recente que você praticou, pois a tensão no seu corpo pode dar-lhe espasmos nas costas inferiores.

Micção Frequente e Incontrolável: Urinar frequentemente e não ser capaz de controlar a si mesmo pode ser uma indicação de enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico. Mais uma vez, isso pode significar várias coisas, por isso certifique-se de verificar com o seu médico.

Perda de Apetite: Sentir-se cheio com facilidade ou perder peso de forma inexplicável são sinais de câncer no ovário que não devem ser ignorados.

Dor Durante a Relação Sexual: A dor pode ocorrer durante ou depois da relação sexual, especialmente em torno do abdômen e abaixo.

Fadiga: Ficar cansado mais rapidamente, sem qualquer atividade rigorosa é um dos sinais de câncer no ovário que não deve ser ignorado. Observe os seus níveis de energia intensamente para descobrir se eles estão realmente caindo.

Menstruação Irregular: Estatisticamente, as mulheres com mais de 55 têm um maior risco de câncer de ovário. No entanto, isso pode não ser sempre o caso. Câncer pode ocorrer mesmo em mulheres jovens que ainda não tiveram o seu primeiro ciclo menstrual.

Vômitos: Alguns casos de câncer de ovário, muitas vezes, leva à prisão de ventre, que causa náuseas, dor abdominal e perda de peso.

Muitas mulheres diagnosticadas com câncer de ovário não apresentaram todos os sintomas listados acima. Portanto, mantenha o foco, mesmo para um ou dois destes sinais e mantenha o controle. Se persistir por mais de 2 semanas, consulte o seu médico sobre isso.

sábado, 7 de janeiro de 2017

O talco em pó está relacionado com o câncer de ovário?

Hoje, conversando com uma amiga ela me contou que costuma usar talco para diminuir o desconforto causado pelo calor! Disse-me que o uso do talco costuma deixá-la com aquela sensação de banho tomado, que sente o corpo mais fresquinho! 
Imediatamente, lembrei-me de ter lido algo sobre a associação do uso do talco com ca de ovário.
Resolvi pesquisar e agora compartilho com vocês o que achei.

........................................................................................................................................................

Possivelmente todos nós, em algum momento, utilizamos talco em pó ou outros produtos que o contenha. O talco é utilizado em muitas indústrias, pois está presente em cosméticos, em pós para o rosto e, inclusive, pós para o cuidado dos bebês. No entanto, estudos recentes descobriram que o uso excessivo deste tipo de produto está relacionado com o câncer de ovário devido a alguns de seus componentes.


O que é o talco em pó?
O talco em pó é feito principalmente de talco, que é o silicato de magnésio (formado por silício, magnésio, oxigênio e hidrogênio). Em sua forma natural, o talco contém uma substância tóxica chamada amianto que, de acordo com várias pesquisas, poderia causar a aparição de diferentes tipos de cânceres. Desde o ano de 1970, nos Estados Unidos, os talcos em pó estão livres de amianto, graças às normas e regulamentações federais.

Atualmente o talco é utilizado de múltiplas formas pela indústria, já que é um ingrediente base de produtos de cosmética feminina e muitos outros do mercado. Com frequência, o talco é utilizado para absorver o excesso de umidade, mantendo a pele seca e livre de erupções. Graças a esta propriedade do talco, muitas mulheres o consideram um bom produto para a higiene feminina, já que mantém a área íntima seca e livre de maus cheiros.

Porém, a Sociedade Americana contra o Câncer adverte, pois várias pesquisas determinaram que pode haver uma relação entre o talco em pó colocado na área genital e a aparição do câncer de ovário. Estes estudos coincidem ao dizer que, ao utilizar o talco em pó nesta área do corpo, este produto pode viajar através do útero, para as tubas uterinas e ovários, e provocar uma inflamação no corpo da mulher, criando um ambiente perfeito para as células cancerosas.

O talco em pó que é aplicado nos bebês também pode causar a aparição de câncer de ovário em uma idade mais avançada, pois as partículas do talco caminham pelo aparelho reprodutor feminino, podendo ficar por anos nos ovários, o que criaria um ambiente ideal para que as células cancerosas originem a doença.

Uma pesquisa realizada em 1971  determinou que foram encontradas partículas de talco em 75% dos tumores de ovário que foram objeto do estudo. Em outra pesquisa, realizada em 8 países diferentes com 19 pesquisadores, foi determinado que existe um risco de câncer de ovário de 30 a 60% naquelas mulheres que utilizam talco em sua zona genital.

Mesmo que a Sociedade Americana contra o Câncer já tenha feito várias advertências sobre o risco de utilizar o talco em pó, por sua relação com o câncer de ovário, a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA, sigla em inglês) ainda não retirou este produto do mercado ou, pelo menos, não obrigou os fabricantes a colocar uma etiqueta informando do risco que o uso deste produto a longo prazo pode ter, especialmente se utilizado na área genital.

Advertências sobre o uso de talco em pó

Depois de reunir os resultados de várias pesquisas de todo o mundo com relação ao uso do talco em pó, muitas entidades de saúde e inclusive marcas de talco decidiram advertir sobre o uso deste produto.

A Academia Americana de Pediatria já não recomenda o uso do talco para bebês para o tratamento e prevenção da dermatite de fralda. Esta decisão foi tomada após o conhecimento de que o talco pode produzir danos nos pulmões dos bebês e sérios problemas respiratórios.

O rótulo do Talco para bebês da Johnson & Johnson Baby Powder contém a advertência de que o produto somente deverá ser utilizado externamente, e que deve ser evitado o uso sobre a pele lesionada, assim como o contato com os olhos e a zona do nariz porque pode causar problemas respiratórios.

A Coligação para a Prevenção do Câncer propõe que todos os produtos com Talco levem uma etiqueta onde contenha a advertência de sua relação com o aumento do risco de câncer de ovário: “A aplicação frequente de talcos em pó na área genital da mulher aumenta substancialmente o risco de câncer de ovário”.



terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Atenção Senhores Passageiros! Última chamada para o embarque!

Recebi esta mensagem pelo WhatsApp e não sei de quem é a autoria. No entanto, como é uma mensagem sensacional e bem apropriada para o Ano Novo resolvi compartilhar com vocês, queridos leitores:

Estaremos dentro de pouco tempo, começando mais uma viagem, com um tempo previsto em todo o trajeto de 365 dias. Carimbem o passaporte, definam o destino e embarquem na plataforma 2017. Quem tiver mágoas, ressentimentos, pendências e tristezas antigas na bagagem, favor descarregá-las no Balcão 2016, ao lado dos banheiros. Recomendamos o uso dos sapatos da boa vontade e as camisas do otimismo, evitando, durante a viagem, as saias justas da competitividade insana e os nós da gravata da ambição desenfreada. 
Os passageiros que portarem sorriso nos lábios, coração aberto e mãos prontas a construir terão assento preferencial ao lado da janela da felicidade. Solicitamos a todos que apertem o cinto da esperança e recomendamos que ninguém, em hipótese alguma, utilize a saída de emergência durante a viagem. 
Caso haja períodos de turbulências, mantenham a calma e a confiança no piloto desta aeronave, o Grande Comandante Universal. Em qualquer situação de medo ou desespero, contem também com nosso atendimento de bordo realizado, permanentemente, por nossos anjos do espaço que estarão ao lado de cada passageiro. Recomendamos durante todo o trajeto, atitudes de solidariedade, de atenção e carinho, principalmente, com as crianças e idosos, o que garante a participação em nosso programa de milhagem. 
O ar das cabines, em virtude das ações do homem, está extremamente seco, por isso, sugerimos a ingestão de água durante toda a viagem. Além disso, moderação com os alimentos gordurosos. Recomendamos, também, exercícios físicos como exercitar as pernas, braços e pés, evitando os inchaços prejudiciais à saúde. 
Importante lembrar que, embora tenhamos pessoas viajando em classes diferentes, nada assegura que na próxima viagem os passageiros terão direito aos mesmos assentos. Portanto, respeito e bom relacionamento com cada companheiro de viagem, independente da classe a qual pertença, será motivo de avaliação no momento do checkout. Para isto lembramos utilizarem o crachá da amizade e palavras de agradecimento e compreensão. 
Como já é de conhecimento de todos, teremos muitas escalas durante o trajeto, o que implica na necessária entrada e saída de pessoas, valendo recordar em todos os momentos da contínua confiança no Grande Comandante Universal. 
A todos, uma excelente viagem!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Consciência corporal/ mental e energia vital!


Toda doença surge quando o corpo quer nos dizer que, de alguma forma,  temos feito algo  de errado! E como saber o que temos feito de errado se não temos consciência do nosso corpo, tampouco da nossa mente? Um corpo saudável mantém-se saudável quando há um equilíbrio entre mente, corpo e alma, o que nos permite manter sempre em alta a nossa energia vital.
Somos seres dotados de energia, já nascemos com uma reserva de energia, mas também captamos energia do universo, através do que comemos, bebemos e respiramos, como também trocamos energia! Existe energia em tudo e em todos, acabamos consumindo energia em demasiado dependendo da forma como vivemos, podendo ocorrer falta ou desequilíbrio energético, o que acaba por  afetar o nosso corpo físico e, consequentemente, afetando a saúde física e emocional!
A lição que uma doença traz é sempre a mesma, os recados são sempre iguais: mude os pensamentos, mude as emoções, mude seus hábitos!
Sem dúvida alguma,  remédios e cirurgias da medicina ocidental são realmente importantes e salvam vidas, mas não tem a capacidade de tocar na alma, onde reside a cura profunda e completa.
A cura deve ultrapassar a barreira do físico, chegando ao não físico.
Atitudes erradas esgotam a nossa energia vital e nos adoecem. E quais atitudes erradas poderiam ser?
- Descaso com o corpo: descanso, boa alimentação, exercícios físicos e lazer são deixados de lado. E sua saúde energética, como fica?

- Pensamentos obsessivos: remoer um problema cansa mais do que trabalhar o dia todo; já pensamentos positivos recarregam as energias.

- Sentimentos tóxicos: choques emocionais, raiva e mágoas sugam a energia. Por outro lado, emoções positivas como amor e alegria recarregam a pilha e dão força para superar obstáculos.

- Fuga do presente: as pessoas tendem a achar que no passado tudo era mais fácil: “bons tempos!”, costumam dizer. Ou então, depositam a felicidade no futuro, mas deixam pouca energia no agora. E esquecem que só no presente construímos a vida.

- Falta de perdão: perdoar é libertar o passado e seguir em frente. Quem não perdoa o outro e a si mesmo, fica “energeticamente obeso”, carregando fardos passados.

- Mentiras: somos educados para desempenhar papéis sociais. A moça boazinha, a vítima, a mãe dedicada… Mas só quando somos nós mesmos a vida flui sem esforço.

- Viver a vida do outro: evoluímos com os relacionamentos, mas é preciso amadurecer individualmente. Quem cuida da vida do outro, interferindo mais do que deve, acaba sem energia para construir a própria vida.


Muita luz e energia a todos!

sábado, 26 de novembro de 2016

Manual de Condutas Médicas para cânceres ginecológicos - Hospital AC Camargo

Caros leitores, segue abaixo o link contendo a mais recente versão do manual de condutas médicas do Hospital A C Camargo, que visam nortear o tratamento de cânceres ginecológicos.
Lembrando que informações sobre câncer de ovário serão encontradas na página 49.

Com o tempo a gente aprende...


O Menestrel - William Shakespeare

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.

E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la…

E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.

E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…

Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.

Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…

Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…

Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Eu não o temo mais...

Hoje, durante uma consulta com a minha psicóloga, eu comentei que, estranhamente, já não penso mais no câncer, que não me preocupo mais com os resultados dos exames, que não mais me causa temor o meu prazo de validade, que não mais me preocupo se ele irá voltar e que não mais o temo, tampouco a morte!
Outrora o câncer era a minha mais angustiante preocupação, pois pensava nele 24 horas por dia. Incontáveis vezes me pegava pensando: e se?... será?
Já nascemos com uma única certeza, a de que todos partiremos um dia, mais cedo ou mais tarde, então, para que me preocupar?
Hoje, percebo que pensar e se agonizar por causa do câncer consome uma energia imensa do nosso corpo! Tanta preocupação, tanta ansiedade, tanto medo para quê? Do que nós servirá tamanho sofrimento por antecipação?
Não me preocupar mais não significa que desisti da vida, mas sim que decidi viver, sem temores!
Uma vez meu médico me disse: Nanci, não quero que se preocupe com o seu câncer, deixe que eu me preocupe com ele! Hoje, entendo o que ele quis me dizer...


domingo, 23 de outubro de 2016

Escolhidas para um Recomeço!

Queridos leitores, essa semana resolvi  criar um painel com as fotos de algumas amigas do Grupo Câncer de Ovário: Juntas Somos Mais Fortes, que mantenho no Facebook, e coloquei esse painel como capa de nosso grupo! Uma dessas amigas acabou criando um emocionante texto, que descreve exatamente como nos sentimos após o diagnóstico, o qual compartilho com vocês! Obrigada minha queridíssima amiga Mari Sória, por tamanha sensibilidade!

Escolhidas para um recomeço - por Mariana Sória

Essas mulheres sabem que pior que a quimioterapia, é só a quimioterapia mesmo... 
Essas mulheres sabem que ficar careca dá vergonha, mas que no banho é uma delicia sentir a água na cabeça... 
Essas mulheres sabem a dor da notícia...
Essas mulheres sabem que conviver com o medo da morte não é legal...
Essas mulheres sabem o quanto é importante a atenção de pessoas queridas...
Essas mulheres sabem o quanto é triste ver pessoas se distanciando nesse momento...
Essas mulheres sabem que a fé é a base de tudo...
Essas mulheres sabem que a força vem na hora que precisamos...
Essas mulheres sabem que não ter paladar é estranho...
Essas mulheres sabem o que é um verdadeiro enjoo...
Essas mulheres descobrem quem são os verdadeiros amigos...
Essas mulheres sabem que o chuveiro é nosso melhor amigo e que talvez, o único que nos escuta e nos entende...
Essas mulheres sabem como é bom ficar sem se depilar por uns meses...
Essas mulheres sabem como é a culpa de ver seus familiares tristes por você...
Essas mulheres sentem uma vontade imensa de viver...
Essas mulheres se irritam ao ver pessoas reclamando que "hoje é segunda", que não aguenta mais trabalhar, de uma simples dor de cabeça, reclamarem por pouco...
Essas mulheres não gostam de mimimi...
Essas mulheres sabem como é a espera de um resultado de exame...
Essas mulheres sabem o quanto as pernas doem...
Essas mulheres já sentiram o corpo fraco, mas um fraco impossível de se mexer...
Essas mulheres acreditam num amanhã lindo...
Essas mulheres foram: "Escolhidas para um recomeço!!!" 
❤️🙏🏽🍀